2 Investimentos rentáveis e seguros que você precisa conhecer

Veja mais

Na hora de fazer um investimento é comum buscar alternativas que ofereçam resultados que atendam a seus objetivos. Se a sua intenção for unir proteção e desempenho, é fundamental buscar investimentos rentáveis e seguros.

Ao longo deste artigo, você conhecerá opções que atendem, majoritariamente, a cada um desses critérios. Porém, também terá a chance de conferir duas aplicações que equilibram a segurança com a performance.

Quer descobrir as possibilidades? Veja a seguir diversas opções e 2 investimentos que são rentáveis e seguros!

Quais são alternativas de aplicações de renda fixa?

Antes de avaliar a relação de risco e retorno, vale a pena conhecer os investimentos disponíveis no mercado. Quando o objetivo é obter um nível maior de segurança, as aplicações de renda fixa são adequadas — pois oferecem previsibilidade em relação às regras de rentabilidade.

Confira os principais investimentos seguros da renda fixa!

Títulos do Tesouro Direto

Os títulos públicos são emitidos pelo Tesouro Nacional e disponibilizados em uma plataforma conhecida como Tesouro Direto. Assim como outros investimentos da renda fixa, podem ser prefixados (Tesouro Prefixado), pós-fixados (Tesouro Selic) ou híbridos (Tesouro IPCA).

Eles são considerados os mais seguros do mercado, porque o Governo é visto como um bom pagador. Além disso, todo título público é um investimento de renda fixa com liquidez diária.

No entanto, os títulos prefixados e atrelados à inflação podem sofrer a marcação a mercado. Como são vendidos pelo preço de negociação do momento, a antecipação do resgate pode gerar perdas.

CDB

Já o certificado de depósitos bancários (CDB) é emitido por instituições financeiras, como bancos de pequeno, médio e grande porte.

Um destaque é que são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). O total coberto é de até R$ 250 mil por CPF e por instituição, com um limite de R$ 1 milhão renovável a cada 4 anos.

Apesar de normalmente apresentarem taxas um pouco maiores do que os títulos do Tesouro, o investimento em CDB pode não ser tão rentável. Para aumentar o retorno, é necessário escolher os títulos de instituições menores e/ou menos sólidas e mais arriscadas.

LCI e LCA

As letras de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA) também são emitidas por instituições financeiras e têm a mesma cobertura do FGC. Como diferencial, apresentam isenção do Imposto de Renda para pessoas físicas.

No entanto, há a mesma limitação do CDB quanto à rentabilidade. Para ela ser maior, é necessário se arriscar mais.

Debêntures

As debêntures, por sua vez, fazem parte do chamado crédito privado. Ele reúne tipos de investimento em renda fixa que apresentam riscos um pouco maiores, mas potencial de retorno expandido.

Elas correspondem a títulos de dívida emitidos por empresas públicas e privadas que desejam captar recursos. Contudo, se o negócio estiver muito endividado e em situação financeira complicada, o risco pode aumentar e impactar sua estratégia de investimento.

E quais são opções de investimento de renda variável?

Agora que você conheceu investimentos seguros, é interessante entender quais são os mais rentáveis disponíveis. Diante da relação de risco e retorno, os investimentos de renda variável podem apresentar um desempenho melhor, em termos de rentabilidade.

Pensando nisso, veja quais são investimentos rentáveis que fazem parte da renda variável!

Ações

Uma ação é a menor parte do capital social de uma empresa e é negociada na bolsa de valores. Ao adquirir ações, você passará a participar dos resultados do negócio escolhido, passando a integrar o quadro de acionistas.

O retorno desse investimento é obtido de duas formas principais. O primeiro meio é pela valorização dos preços das ações. Porém, só é possível consolidar o lucro dessa maneira ao vender os papéis.

A segunda alternativa envolve o recebimento de proventos, que resultam da distribuição de parte do lucro líquido auferido pela empresa. Um exemplo são os dividendos, isentos de Imposto de Renda. Entretanto, os ganhos não são garantidos, pois dependem dos resultados da companhia.

Fundos de investimento

Já os fundos de investimento são veículos financeiros por meio dos quais os investidores adquirem cotas de participação nos resultados de investimentos feitos por um gestor profissional. Há fundos de renda fixa, mas uma parte significativa deles é de renda variável.

Existem distintos fundos disponíveis no mercado, como fundos de ações, de índice (ETFs), imobiliários e multimercados. Embora possam ajudar a diversificar a carteira e tenham condições de ser investimentos rentáveis, eles têm menos segurança — por serem de renda variável.

Quais são 2 investimentos rentáveis e seguros para conhecer?

Até aqui, você conferiu investimentos que são seguros, mas que são pouco rentáveis e opções com maior potencial de rentabilidade, mas sem a segurança da renda fixa. Porém, é possível equilibrar essas condições por meio de duas alternativas principais: o CRI e o CRA.

Na sequência, conheça melhor essas aplicações de renda fixa e veja como eles se destacam!

1. CRI

Sigla para certificados de recebíveis imobiliários, os CRIs são emitidos por securitizadoras. Essas são instituições financeiras responsáveis por antecipar os recebíveis de empresas. Nesse caso, do setor de imóveis, como construtoras ou incorporadoras.

A empresa que cede seus direitos creditórios é chamada de cedente e os clientes que devem a ela são os sacados. Após a antecipação, a securitizadora tem direito de receber os valores dos sacados e transforma os direitos creditórios em títulos que são negociados no mercado.

O investidor, por sua vez, é quem adquire os títulos e tem o direito de receber uma rentabilidade contratada. Como faz parte do crédito privado, o CRI tende a oferecer retornos melhores, mesmo com a previsibilidade da renda fixa.

2. CRA

Para unir rentabilidade e segurança também é possível recorrer aos certificados de recebíveis do agronegócio ou CRAs. Eles funcionam como os CRIs, com a diferença que são voltados para empresas do ramo do agronegócio, como cooperativas do setor.

Tanto o CRI quanto o CRA não têm proteção do FGC, mas, por serem de renda fixa, são mais seguros que investimentos de renda variável.

Além disso, você pode fazer uma escolha com menor potencial de perdas. É o caso de selecionar títulos com uma boa classificação de crédito (rating) e que sejam mais sólidos. Isso permite ter mais segurança, ao mesmo tempo em que rentabiliza o portfólio.

Para completar, são investimentos isentos de Imposto de Renda para pessoa física, o que pode ajudar a obter um retorno líquido melhor.

Agora que você sabe que CRI e CRA podem ser considerados investimentos rentáveis e seguros, vale a pena analisá-los em relação ao seu perfil e seus objetivos. Assim, é possível definir se eles são boas alternativas para o seu caso.

Quer investir na renda fixa e rentabilizar sua carteira ao mesmo tempo? Conheça as alternativas que a Multiplike disponibiliza!

Voltar