Certificado Great Place to Work

Entenda como fazer uma análise de crédito eficiente em seu negócio

Veja mais

Em se tratando de gestão financeira, a inadimplência dos clientes é um dos temas mais delicados. Quando as quantias envolvidas nas transações são elevadas, o assunto se torna ainda mais sensível aos cofres da empresa. Afinal, quanto maior o débito, maior o risco de insolvência. O que fazer para evitar esse cenário preocupante? Dar mais atenção à análise de crédito dos clientes é a melhor opção!

Mas como fazer uma análise de crédito realmente efetiva? Aprenda na sequência!

Verifique se há restrições no CPF ou CNPJ da empresa

O primeiro cuidado relacionado à análise de crédito é a verificação de possíveis restrições junto ao CPF ou CNPJ do cliente. Caso haja dívidas vigentes e desvinculadas de qualquer acordo, elas estão devidamente acompanhadas de seus respectivos bloqueios.

Durante essa etapa, é igualmente conveniente averiguar qual é o histórico de restrições associados ao mesmo CPF ou CNPJ. Caso os pagamentos anteriores realizados pelo cliente tenham sofrido constantes atrasos, há uma chance significativa de que esse padrão se repita.

Examine cuidadosamente a documentação apresentada

Outro ponto a ser observado com máxima atenção é a relação de documentos exibida pelo cliente. A empresa deve ter um protocolo de verificação bem definido e seguido à risca pelos funcionários.

Por sinal, o improviso é uma característica que não combina com o processo minucioso atrelado a uma análise de crédito. Para garantir que os procedimentos sejam efetuados, é importante estabelecer períodos de monitoramento acerca da execução dos processos.

Customize o perfil de crédito do cliente

Quanto mais informações a empresa detiver a respeito do cliente, mais preciso será o perfil financeiro dele. Portanto, menor será a taxa de erros associados ao potencial de crédito.

Essas informações são extremamente valiosas na hora de se definir qual será a política de crédito adotada em cada caso. Nesse aspecto, é importante salientar que existem diferentes maneiras e critérios para se conceder crédito.

Isso significa que cabe à empresa definir alguns parâmetros. Antes de definir uma concessão de crédito, ela deve levar em consideração quais são suas metas e objetivos. Some-se a isso a necessidade de verificar quais são as expectativas do seu público-alvo.

Em outras palavras, não basta administrar o cadastro de clientes e adotar sistemas informatizados para aprimorar a análise de crédito. Tampouco é suficiente a regularidade das consultas sobre as restrições impostas aos clientes.

Ao determinar um perfil para análise e concessão de crédito, a organização precisa mirar certo equilíbrio. Isso porque esses processos devem estar alinhados à estratégia de vendas da empresa.

A função da avaliação de crédito consiste em diminuir ou eliminar os riscos da taxa de inadimplência inerente ao negócio. Contudo, uma política muito rigorosa pode refletir negativamente nos índices de atração de potenciais clientes e conversão em vendas.

Uma das melhores soluções para o problema reside em customizar as análises. De fato, existem grupos de pessoas com comportamentos bem semelhantes. No entanto, a individualização da análise proporciona resoluções mais específicas para todas as circunstâncias.

Os critérios a serem utilizados durante essa análise personalizada são diversos. Entre os principais, pode-se destacar o tempo necessário para o pagamento final e, sobretudo, o valor do contrato.

Como mencionado no início deste artigo, os valores mais altos ampliam a margem de risco de atrasos nos pagamentos. Os critérios adotados com relação a valores menores podem, sem dúvida, ser flexibilizados, desde que o cliente apresente um bom histórico.

Use a tecnologia para facilitar os processos

A análise de crédito visa constatar a tendência comportamental do cliente com relação aos pagamentos de suas dívidas. A qualidade desse procedimento é determinante para que uma empresa saiba exatamente qual é a condição econômica de cada cliente.

Tudo isso é essencial para que a empresa consiga planejar o seu fluxo de caixa e, assim, manter um bom capital de giro. Da mesma forma, ela também poderá cumprir as diretrizes de investimento previstas no planejamento estratégico do negócio.

Todos os procedimentos mencionados até aqui podem ser feitos de um modo mais intuitivo, dinâmico e veloz. Existem diversas ferramentas tecnológicas que facilitam bastante a análise de crédito.

Além de acelerar os processos, o uso de sistemas informatizados com tecnologia de ponta diminui profundamente o risco de falha humana. De acordo com o grau de inteligência do sistema, a organização pode economizar muitos recursos financeiros do negócio.

Confira duas destas tecnologias na sequência!

1. Business Intelligence

Toda empresa deve otimizar ao máximo os processos ligados à avaliação de crédito de um cliente. Nesse sentido, é aconselhável que ela pense seriamente na adoção de um sistema de Business Intelligence.

O método eleva consideravelmente o poder de análise preditiva, apontando um risco específico relacionado a cada concessão de crédito. Se houver algum indício de fraude, por exemplo, ele será automaticamente avaliado pelo sistema.

Por meio do Business Intelligence, também é possível criar um mecanismo que atribua uma pontuação para cada cliente. A partir desse score e dos demais dados relacionados ao cliente, o sistema calcula qual é o risco de inadimplência em questão.

Evidentemente, os valores inerentes às transações também são considerados pelo sistema. Com base em todo esse conjunto de aspectos, o processo de tomada de decisão se torna bem mais preciso.

2. Machine learning

Ainda como importante ferramenta tecnológica, há o uso do machine learning. Basicamente, a empresa passa a ter à disposição uma máquina que aprende, de acordo com a experiência registrada por ela.

Assim, o sistema realiza avaliações contínuas e minuciosas sobre o potencial de crédito dos clientes. Não é à toa que o machine learning deixou de ser uma tendência para se transformar em uma realidade.

Em uma época marcada pelo dinamismo das inovações, não faz sentido realizar uma análise de crédito destituída de todos esses recursos tecnológicos. O ganho de agilidade ainda gera outras vantagens, como:

  • aperfeiçoamento das políticas de crédito aplicadas pela empresa;
  • otimização do tempo dos colaboradores, que podem se dedicar a análises mais minuciosas;
  • aprimoramento da integração entre os dados das análises e aqueles relacionados aos grupos de vendas.

Por fim, a época recente permite que muitos procedimentos atrelados à análise de crédito sejam efetuados de modo online e com total segurança. Um ótimo exemplo é a assinatura digital, possibilitada por meio do e-CPF, uma espécie de CPF virtual. Esse prático dispositivo concede validade jurídica às assinaturas contratuais.

Quer saber mais sobre essa incrível tecnologia e as facilidades que ela oferece a sua empresa? Saiba agora mesmo como o e-CPF funciona!

gestão de fluxo de caixa

Voltar