Como aumentar o faturamento da empresa? Veja 4 dicas práticas!

Veja mais

Aumentar o faturamento e conquistar o sonhado lucro é o maior sonho de qualquer empresa, não é mesmo? Esse é um dos maiores desafios da atualidade, ainda mais com um mercado tão competitivo e que sofre mudanças diariamente.

Mas é possível, por meio de algumas estratégias, aumentar as vendas da empresa sem fazer grandes sacrifícios: é uma questão de operacionalização e organização. Por isso, neste texto darei algumas dicas sobre esse assunto para que você ajude sua companhia a aumentar a saída de produtos e serviços.

Gostou da proposta? Então, continue a leitura!

1. Identifique gargalos e otimize o processo de vendas

Durante o desenvolvimento de uma organização é preciso fazer várias adaptações para que a empresa consiga gerir a demanda que cresce à medida que seu número de clientes aumenta. Vários desses processos são criados apenas como “gambiarras” para que as operações continuem.

Isso é completamente natural e praticamente todas as companhias do mundo passam por isso durante seu crescimento. O problema é que essas tais gambiarras, às vezes, são incorporadas na rotina organizacional e só geram burocracia, retrabalho e gasto de tempo, ou seja, desperdício de recursos.

Por isso, a primeira dica que dou para você é: analise os seus processos internos, identifique os principais gargalos produtivos (etapas lentas, excessivamente burocráticas e, principalmente, que os clientes reclamam com frequência) e procure uma solução para o problema.

Somado a isso, faça uma varredura de todos os procedimentos ligados às vendas. Automatize o der (em vez de o vendedor usar um papel para anotar ou fazer consultas, que tal optar por uma planilha no smartphone?) e dê mais agilidade no atendimento ao cliente.

2. Desenvolva um planejamento de vendas

Durante muito tempo as vendas foram tratados como um processo orgânico: o bom vendedor tinha o seu estilo de comunicação, ele seguia uma abordagem própria e conquistava os clientes com sua personalidade e comportamento.

Isso funciona? Com toda a certeza! Entretanto, uma empresa não pode seguir apenas esse caminho. Afinal de contas, temos que lembrar, também, que as organizações são marcas e que a marca representa um padrão de atendimento, de serviços e de produtos.

Por isso, sua equipe de vendas, bem como todas as áreas envolvidas no processo (o Marketing, por exemplo), deve estar muito bem alinhada à cultura organizacional e processos internos. Isso é feito por meio de treinamentos periódicos.

Só que antes de começar esse aperfeiçoamento você precisa repensar o processo de venda. Crie um roteiro que deve ser seguido, respeitando a liberdade de cada colaborador, para que haja um norte que ajudará os vendedores em caso de dúvida.

Se sua empresa opta por fazer as clássicas cold calls (chamadas de telefone para uma lista de números de pessoas desconhecidas), por exemplo, qual deve ser a abordagem do agente? Primeiro se apresenta ou pergunta o nome da pessoa com a qual está falando?

Faça um levantamento das melhores práticas — consultar os vendedores com maior e menor desempenhos ajuda nesse processo — e elabore a estratégia da sua empresa.

3. Reduza a estrutura de custos

Além de dar uma bela impulsionada nas vendas, outro ponto que deve ser atacado por você é a estrutura de custos da empresa. Provavelmente serão encontrados pontos de melhoria que favorecerão com o resultado das operações da companhia.

Avalie, então, toda a estrutura de custos e comece a pensar se aquele gasto é válido e se algo poderia ser feito para reduzi-lo. Isso inclui as contas de luz, água, pagamento de em atraso e o contrato com os fornecedores.

O último, inclusive, merece uma atenção especial. Se o fornecedor já é um parceiro de longa data da sua empresa, talvez as condições do contrato estejam mais adequadas para uma companhia menor do que para o seu faturamento atual. Então, vale a pena ler, novamente, os termos e negociar algumas condições.

Se sua empresa é uma boa parceira o fornecedor provavelmente fará algum agrado para mantê-los em sua carteira de clientes.

Outro ponto que também é interessante olhar é a da prestação de serviço e áreas de apoio. Pense no seu core business (função estratégica da empresa no mercado) e veja a possibilidade de terceirizar os serviços que não compõem essa área de atuação.

Além da área de cobranças e da equipe de apoio (faxineiros, porteiros, vigias, zelador etc.), o setor de Tecnologia da Informação também deve ser pensado com cuidado. Caso sua área de atuação não tenha a ver com a Ciência da Computação e o desenvolvimento de softwares e hardwares, é provável que esses colaboradores fiquem ociosos durante longos períodos.

4. Invista no pós-vendas

Frequentemente vemos sites, blogs, vídeos e palestras falando sobre a importância de atrair clientes e quais são as melhores práticas para fazer isso, não é mesmo? O motivo é óbvio; para sua empresa crescer ela precisa vender mais.

Entretanto, você já parou para pensar nos seus atuais clientes? Essas pessoas já passaram pelas objeções de compra e confiaram na sua empresa para lhes fornecer um produto ou serviço que precisavam.

Isso significa que seus antigos clientes são as pessoas com maior probabilidade de comprar da sua empresa. Não só isso: é mais barato ativar um antigo comprador do que conquistar um novo consumidor.

Mas o que pode ser feito para garantir que uma pessoa volte a comprar o que sua empresa oferece? O segredo está no atendimento! Além de toda a assistência e ajuda antes e durante o processo de compra, seus colaboradores devem, também, acompanhar o cliente depois que o produto ou serviço já foi adquirido.

A isso chamamos de pós-venda. Nessa etapa do atendimento é que seus vendedores e consultores entrarão em contato para dar dicas de uso do produto que foi comprado, solucionarão dúvidas, corrigirão erros e mostrarão para o cliente que ele é especial e que terá assistência mesmo depois de a compra ter sido finalizada.

Quando o pós-venda é feito adequadamente, o consumidor se sente especial. Ele acredita na empresa, confia nela e faz novas compras. Somado a isso, o cliente satisfeito também é um promotor da marca que ajuda a propagar os produtos e serviços por meio da indicação boca a boca positiva.

Como você pode ver, é possível aumentar o faturamento da sua empresa sem precisar fazer nenhum malabarismo financeiro ou mudança radical na forma como o trabalho é feito. Algumas mudanças pontuais podem gerar um excelente resultado, além de serem uma ótima forma de testar novas ideias e estratégias sem prejudicar as operações da companhia.

Gostou dessas dicas? Quer continuar recebendo conteúdos como este? Então, curta a página da Multiplike no Facebook e acompanhe as próximas publicações!

Voltar