Certificado Great Place to Work

Correntistas do SICOOB ficam com o dinheiro preso

Veja mais

” REGIONAL – O Banco Central decretou nesta quarta-feira (5)a liquidação extrajudicial da Cooperativa de Crédito Rural Cazola – Sicoob Credicazola, que tem sede em Lucélia e filial em Parapuã. A consequência imediata para a medida é a retenção de aplicações e depósitos em contas dos cooperados/correntistas.

A decisão foi tomada considerando o comprometimento da situação econômico financeira da instituição, bem como a grave violação às normas legais e regulamentares que disciplinam sua atividade“, diz o ato do Banco Central.

No comunicado, o Banco Central informou a indisponibilidade dos bens de ex-administradores da Credicazola. O documento foi colocado na porta da agência no centro de Parapuã e Lucélia.

Correntistas prejudicados

Desde segunda-feira (3), as agências estão com as portas fechadas. Sem um posicionamento oficial, o gerente admnistrativo, Carlos Aberto Oliveira dos Santos, não esclareceu a real situação da instituição e os cooperados estão desesperados com o fechamento da cooperativa financeira. Santos informou apenas que o Sicoob Credicazola passará por reestruturação, negando a falência.

Há relatos de pessoas que venderam carro, realizaram retiradas de FGTS, entre outros atos, visando à injeção de dinheiro para restabelecimento da situação econômica da Cooperativa que tem mais de 20 anos.

O Sicoob (Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil), informou nesta terça-feira (4), que aCredicazola passa por um processo de reestruturação, motivo pelo qual suspendeu as movimentações financeiras a partir desta segunda-feira (3). A partir das deliberações internas, os cooperados serão informados nos próximos dias sobre a situação futura da cooperativa. A Credicazola esclarece que está adotando todos os procedimentos necessários para o caso e está empenhada para que a situação seja resolvida com a maior brevidade possível, consta na nota.

O QUE É LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL – A liquidação extrajudicial é um tipo de regime especial, trata-se de uma medida administrativa, com caráter saneador e é aplicado às empresas que operam no mercado supervisionado, portanto, uma intervenção econômica estatal em uma empresa supervisionada a fim de restabelecer suas finanças e satisfazer seus credores.”

Texto Original do Site “www.ocnet.com.br”. Para ver a publicação original, clique no link abaixo.

Voltar