Crédito privado: o que é, como funciona e como investir?

Veja mais

O mercado financeiro apresenta investimentos que nem sempre são amplamente conhecidos entre os investidores. Mas conhecer as diferentes opções pode ser interessante para diversificar a carteira e buscar rentabilidades mais atrativas. Nesse sentido, o crédito privado pode ser uma alternativa.

Os títulos desse tipo são considerados investimentos de renda fixa e tendem a oferecer rentabilidades maiores aos investidores. Isso acontece porque representam um pouco mais de risco, de modo geral.

Então, principalmente em um cenário de juros baixos, eles ganham destaque no mercado. Quer saber mais sobre essa alternativa de investimento? Continue a leitura e conheça o crédito privado!

O que é crédito privado?

O crédito privado tem como base a emissão de títulos de dívida por parte de instituições privadas. Elas firmam um acordo entre a empresa e o credor – que, nesse caso, são os investidores. Assim, pessoas físicas que investem em títulos privados se tornam credoras do negócio que o emitiu.

Ou seja, elas têm o direito de receber o valor investido mais uma rentabilidade cuja lógica é estabelecida no momento da aplicação. Esse funcionamento com previsibilidade de resultados é o que caracteriza os investimentos de renda fixa.

Como funciona?

As empresas costumam criar os títulos de crédito privado para captar recursos. O objetivo é ter capital para investir no crescimento ou em determinados projetos, por exemplo.

Assim, a companhia faz a emissão do título, que funciona com base no compromisso de pagar os investidores o valor aportado mais uma taxa de juros acordada. Cada título tem uma data de vencimento especificada.

A rentabilidade pode ser prefixada, quando é definida previamente, ou acompanhar algum indicador — no caso dos títulos pós-fixados. Portanto, eles têm funcionamento semelhante aos títulos públicos e a outras aplicações da renda fixa privada.

Quais as diferenças para outros títulos de crédito?

Existem diferenças entre o crédito privado e outros títulos de renda fixa. Confira algumas delas:

Ausência de proteção do FGC

É importante destacar que, ao investir nesses títulos, não há cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), como existe em algumas opções de renda fixa.

Então, além de ser necessário assumir um risco de crédito um pouco maior, não existe essa segurança a mais. Por isso, é importante fazer uma análise completa da empresa emissora, visando mitigar parte dos riscos.

Risco de crédito

Como visto, os títulos privados em geral apresentam riscos um pouco maiores do que outros investimentos. No caso do risco de crédito, existe a possibilidade de o emissor não conseguir pagar as suas dívidas.

Isso significa que a instituição pode não pagar os juros definidos na emissão do título, por exemplo, ou dar o calote de todo o valor na data de vencimento. Mas esse risco pode ser reduzido quando investidor faz uma avaliação completa da instituição emissora.

Rentabilidade

Por causa da relação entre risco e retorno, os títulos de crédito privado normalmente oferecem rentabilidades maiores do que os títulos considerados mais seguros.

Como os riscos são mais elevados, as empresas precisam oferecer remunerações mais interessantes para atrair investidores. Assim, é esperado que a taxa de juros seja maior e mais vantajosa do que as opções menos arriscadas.

Quem emite o crédito privado?

Os títulos de crédito privado são emitidos por empresas privadas ou por securitizadoras. Securitizar significa exatamente transformar os direitos creditórios em títulos que podem ser negociados no mercado financeiro.

Os direitos creditórios podem ser provenientes de vendas ou prestações de serviços. Assim, as securitizadoras são as instituições que se dispõem a transformá-los em aplicações. Consequentemente, são elas que emitem os certificados lastreados nessas operações.

Quais são os principais tipos?

Existem diversos tipos de crédito privado para investir. Conheça os principais:

CRI e CRA

O certificado de recebíveis imobiliários (CRI) são títulos de crédito privado com foco no financiamento de expansão imobiliária. A empresa que precisa levantar recursos para suas operações o faz por meio da troca de seus créditos a receber no futuro por dinheiro hoje.

Para isso, como vimos, a empresa conta com o auxílio de uma securitizadora. É ela permite que os recebíveis sejam convertidos em títulos e negociados com investidores. Dessa forma, é possível atrair capital através dos títulos.

O certificado de recebíveis do agronegócio funciona de forma semelhante. A diferença está na empresa emissora, que é atuante no ramo do agronegócio.

FIDC

O fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) é uma modalidade coletiva de investimento que aproveita as oportunidades do crédito privado. A maior parte dos recursos do fundo é direcionada para a aquisição de direitos creditórios.

O foco consiste no investimento em duplicatas, cheques, promissórias etc. Para a empresa que emite os títulos, isso é positivo porque ela antecipa seus recebíveis e pode melhorar o fluxo de caixa.

A rentabilidade pode ser pré ou pós-fixada. Com relação ao pagamento de tributos, a cobrança de imposto de renda segue a tabela regressiva da renda fixa.

Debêntures

As debêntures são emitidas diretamente por empresas. Elas podem ser do tipo tradicional ou incentivada. No segundo, o crédito obtido com a emissão deve, obrigatoriamente, custear projetos de infraestrutura no país.

Por essa ser considerada uma área fundamental, há incentivo fiscal e isenção do imposto de renda sobre o lucro auferido pelo investidor na operação. Esse é um estímulo para que as empresas consigam captar recursos e contribuam com a ampliação da infraestrutura no Brasil.

Como investir em crédito privado?

Você tem interesse em investir em títulos de crédito privado? É possível ter acesso a eles por meio das instituições financeiras, como corretoras de valores e bancos de investimentos. Para isso, é necessário ter conta em uma delas e verificar as opções disponíveis.

Também é possível investir diretamente por meio da própria securitizadora. Nesse caso, existem diversas possibilidades para escolher, de acordo com as suas necessidades.

Você pode analisar prazos, valores mínimos e rentabilidade de acordo com aquilo que procura em um investimento. Por isso, pode ser interessante considerar essa possibilidade de investimento.

Como vimos, os títulos de crédito privado são alternativas de investimento de diversos setores e portes de empresas. Antes de investir, é importante avaliar seu perfil de investidor e seus objetivo. Assim, será muito mais fácil tomar boas decisões de investimento.

Quer investir em crédito privado? Conheça nossas opções e avalie quais delas atende às suas expectativas e objetivos!

Voltar