Certificado Great Place to Work

Demonstração de fluxo de caixa: o que é, qual a importância e como fazer?

Veja mais

Você já ouviu falar em demonstração de fluxo de caixa? Todos sabemos que uma boa gestão financeira é fundamental para qualquer empresa manter um equilíbrio entre as receitas e despesas. Desta forma, os investimentos feitos podem (e devem) ser usados de maneira mais eficiente e compatíveis com as necessidades do negócio.

E por issoUma das melhores maneiras de acompanhar o desempenho financeiro das organizações é a demonstração de fluxo de caixa.  Por meio dela é possível a visualização de todas as movimentações (entradas x saídas), o que auxilia na tomada de decisões e promove o crescimento da empresa.

Por isso selecionamos algumas dicas e informações sobre o assunto para que você entenda qual é o conceito da demonstração de fluxo de caixa e como aplicá-lo em seu empreendimento. Confira!

O que é a demonstração de fluxo de caixa?

De maneira resumida, consiste em ser um relatório que indica todas as transações que ocorreram, sendo identificado com clareza pelos gestores as entradas e saídas do caixa e possibilitando uma análise estratégica das finanças.

Fazendo isso, você tem acesso a um panorama detalhado sobre os recursos e custos do negócio, bem como à origem da receita adquirida e às áreas de aplicação. Ou seja, o DFC tem como objetivo principal verificar a situação financeira da empresa em um determinado período, além de registrar todas as transações relacionadas ao caixa.

Qual a importância para a sua empresa?

Se você aplicar a demonstração de fluxo de caixa terá várias vantagens que facilitarão a administração do empreendimento em curto, médio e longo prazo. O documento tem um papel fundamental ao traçar metas e elaborar um planejamento eficaz para as entradas e saídas, auxiliando também em outros aspectos, como a transparência das informações. Abaixo, confira alguns desses benefícios que separamos:

Controle de caixa

Com a demonstração de fluxo de caixa a empresa tem uma gestão financeira mais eficiente e organizada. É um recurso facilitador para que os gestores tenham conhecimento sobre a origem do capital, assim como sobre quais são as principais formas de aplicação.

A partir disso, a tomada de decisões se torna mais fácil e compatível com as necessidades do negócio, pois é levado em conta o cenário atual e como ele pode ser modificado para aumentar ainda mais os lucros. Dessa maneira, o fluxo de caixa melhora e o gestor avalia que tipo de investimento precisa ser feito e/ou quais são os custos que podem ser reduzidos para otimizar as finanças.

Acompanhamento do histórico

Outro benefício é a possibilidade de verificar informações precisas sobre o desempenho da organização em determinado período. O histórico de dados contribui para a realização de uma análise minuciosa do fluxo, o que serve como um parâmetro de comparação ao fazer uma mudança ou escolher investimentos.

Entender os principais aspectos do seu negócio no passado auxilia na criação de estratégias, tanto para reparar falhas como para impulsionar a tomada de ações mais rentáveis e adequadas para o fluxo de caixa. Fazer isso evita que prejuízos financeiros ocorram por falta de planejamento e descuido com as movimentações de capital.

Credibilidade e transparência

Também é um documento que transmite credibilidade para os investidores que pretendem investir no empreendimento e desejam entender qual é a situação financeira. Logo, é uma maneira de se posicionar no mercado, positiva e transparente.

Além disso, a demonstração de fluxo de caixa é um importante recurso para que todos aqueles que atuam de forma direta ou indireta em decisões do negócio, sugiram ações que sejam viáveis para o desempenho. Assim, decisões relacionadas a investimentos, empréstimos e financiamentos serão calculadas com cuidado para não afetar negativamente o financeiro.

Quais são os métodos para a demonstração de fluxo de caixa?

Agora que você já entendeu o conceito de demonstração de fluxo de caixa e a importância do método para o dia a dia das empresas, é hora de saber como colocar em prática. Acompanhe!

Método direto

No método direto, é indicado tudo o que é recebido e pago no caixa bruto da empresa. É o mais usado por gestores para apresentar a demonstração de fluxo de caixa. Então, nesse modelo, devem constar os seguintes pontos:

São esses os fatores relacionados ao operacional do negócio, ou seja, despesas e recebimentos que estão associadas as atividades e transações financeiras da rotina. Tais informações são essenciais para que os gestores administrem com facilidade os gastos e receitas que representam o maior volume do fluxo de caixa.

O Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações disponibiliza o modelo simplificado de DFC pelo método direto para que os responsáveis organizem os dados e informações do fluxo de caixa.

Método indireto

Está relacionado às atividades e ao lucro líquido, não levando em consideração o valor bruto, como no método acima.

Podemos dizer que no método indireto são analisados pontos como o estoque e as contas a pagar. Logo, os valores que afetam o lucro líquido proveniente dos resultados serão verificados, como por exemplo a amortização, mesmo que eles não impactem diretamente o fluxo de caixa. Há também outros fatores que são levados em conta na hora de realizar o demonstrativo, como impostos e juros.

A demonstração de fluxo de caixa consiste em um relatório que indica as atividades financeiras dentro de um determinado período. Ao aplicar em sua empresa, você garante decisões mais eficazes e de acordo com a realidade.

Existe uma série de benefícios ao elaborar este documento, pois, além de ter um controle maior de suas aplicações e despesas, é possível ter uma base concreta para futuras decisões. Portanto, coloque em prática as sugestões apresentadas ao longo do conteúdo para acompanhar os resultados que serão obtidos.

Compartilhe este post nas redes sociais para que seus amigos também entendam a importância da demonstração do fluxo de caixa na saúde financeira das empresas!


Voltar