Fomento mercantil: o que é e como utilizar na sua empresa?

Veja mais

Você conhece o termo fomento mercantil? Ele pode ser um mecanismo interessante para captar recursos para a empresa. Dessa maneira, se você precisa estimular o caixa ou está expandindo o negócio, essa pode ser uma solução.

Contudo, é preciso conhecer as suas regras para determinar se a alternativa é realmente vantajosa. Assim, você poderá avaliar o mecanismo, pesar suas consequências e aplicá-lo em seu negócio — caso faça sentido.

Quer entender melhor esse assunto? Então confira este conteúdo completo sobre o fomento mercantil e veja como utilizá-lo!

O que é o fomento mercantil?

O fomento mercantil também é conhecido como factoring, uma expressão que ainda traz diversas dúvidas aos empresários. No entanto, seu funcionamento é simples e, ao contrário do que muitos pensam, não há problemas legais em utilizá-lo.

É muito comum imaginar que o fomento mercantil é um empréstimo bancário ou de terceiros. Porém, ele funciona de forma bastante diferente, apesar de também ser um meio para levantar recursos.

Nesse sentido, o fomento mercantil se caracteriza pela cessão de direitos creditórios de uma empresa a um terceiro. Os termos parecem complicados, mas é possível simplificá-los para facilitar o entendimento.

A cessão é como uma venda, ou seja, a empresa cede seus direitos a outra instituição. Os direitos creditórios são valores que a pessoa jurídica tem a receber de clientes ou outros devedores do negócio.

Logo, pode-se dizer que o fomento mercantil é a venda das contas a receber para um interessado. Dessa forma, a empresa recebe à vista (ou de outra maneira, conforme o contrato) e quem comprou os direitos terá o pagamento no vencimento.

Como ele funciona?

Essa antecipação de créditos, como também é chamado o fomento mercantil, deve ser feita com a contratação de empresas especializadas. Assim, elas oferecem o serviço de compra dos recebíveis da companhia em condições diferentes.

Suponha que sua empresa realiza bastante vendas a prazo. Esses valores a receber são considerados direitos da companhia. Contudo, para manter a operação do negócio, é preciso gastar com insumos, matéria-prima, pagamento de funcionários, fornecedores etc.

Então há um capital investido para que as vendas possam ocorrer. Entretanto, o retorno desse investimento só se concretizará quando os clientes pagarem. Nesse cenário, muitas empresas podem ter um comprometimento da saúde financeira.

É aqui que o fomento mercantil pode ser uma boa alternativa para o negócio. A sua companhia fará uma cessão de créditos, repassando o direito de recebimento dessas vendas parceladas ao contratado.

Por sua vez, quem comprou esses créditos antecipará os recebíveis, fazendo um pagamento à vista. Claro que, para isso, há um procedimento próprio e o montante pago não será igual ao que seria recebido no futuro.

Isso acontece porque a contratada precisará arcar com diversos custos. Primeiro, ela terá que fazer a cobrança desses recebíveis. Também deve ser considerado o risco de inadimplência dos clientes, que está presente em todas as áreas.

Desse modo, cada contrato se dará de forma diferente, de acordo com os riscos das operações e outros fatores. Logo, é fundamental ficar atento a essas condições antes de contratar um serviço de fomento mercantil.

Como utilizá-lo nas empresas?

O procedimento para utilização do fomento mercantil requer o cumprimento de alguns passos. Confira os mais importantes:

Escolha uma boa cessionária

O primeiro passo para contratação do fomento mercantil é a escolha da cessionária. Aqui você deve conhecer a nomenclatura dos dois sujeitos desse negócio. O cedente é a empresa que cede os seus direitos creditórios.

Já a cessionária é a contratante, ou seja, as conhecidas empresas de factoring ou de fomento mercantil. São elas que adquirem esses direitos e passam a ser o sujeito passivo do crédito que foi cedido.

Assim, é fundamental escolher uma cessionária com experiência no mercado e de confiança. Somente assim você garantirá a segurança da transação e evitará problemas com a cobrança ou com o pagamento.

Faça o cadastro e espere a aprovação

Depois de definir qual é a empresa que você contratará, é preciso fazer um cadastro, apresentar documentos e esperar a aprovação. Isso acontece porque a cessionária precisará avaliar diversos pontos importantes.

Entre eles estão os créditos que serão cedidos, seus prazos de vencimento, a saúde financeira do negócio e os riscos de inadimplência. Com essas informações ela poderá definir quais serão as condições da cessão e do pagamento.

Avalie as condições do contrato

O próximo passo é avaliar com cuidado todas as condições e cláusulas contratuais para que você entenda realmente o que está contratando. Nesse momento, a ajuda de um advogado pode ser interessante.

O contrato deve trazer as formas de pagamento, prazos, eventuais penalidades por descumprimento e outras questões importantes. Lembre-se de que ele é o documento que atesta o que foi combinado entre as partes.

Dessa forma, ao assiná-lo, as partes estão concordando com todas as cláusulas ali inseridas. Se não houver ilegalidade, elas são plenamente válidas e não há possibilidade de contestá-las posteriormente.

Confirme o negócio

Após fazer uma avaliação minuciosa do contrato, é preciso assiná-lo. Isso dará efeitos ao documento e a cessionária ficará obrigada ao pagamento combinado. Ela também deve informar todos os devedores que agora ela é a credora.

Assim, o contrato de fomento mercantil terá efeitos sobre todos e a própria cessionária ficará responsável pelas cobranças necessárias.

Quais benefícios o fomento mercantil acarreta?

Após conhecer esses detalhes sobre o fomento mercantil, você precisa entender os benefícios dessa prática. Afinal, o pagamento será feito em um valor menor e com certas condições.

Contudo, existem vantagens importantes que podem fazer a diferença para o seu negócio. Mas lembre-se: nem todas as empresas se beneficiam dessa prática, então é muito importante estudá-la com cautela.

O primeiro benefício é o incentivo ao desenvolvimento e projetos da companhia. Com dinheiro em reserva, será mais fácil investir para potencializar os lucros e o crescimento da empresa.  Não é necessário esperar todos os prazos de pagamento para ter a quantia.

Como é comum que as empresas tenham que arcar com necessidades imediatas, essa é uma vantagem. Além disso, há capital para tomar decisões estratégicas. Pagar fornecedores à vista, por exemplo, pode trazer condições facilitadas e descontos.

Por fim, um benefício claro do fomento mercantil é a redução do risco de inadimplência. Afinal, a companhia receberá seus créditos à vista e não terá que passar por todo o procedimento de cobrança dos clientes.

Pronto! Agora você conhece o que é o fomento mercantil e como pode utilizá-lo na sua empresa. Essa prática pode ajudar na expansão do seu negócio e reduzir riscos com os pagamentos, então não deixe de considerá-la!

Quer contar com uma empresa de confiança para ter soluções para seu negócio? Entre em contato com a Multiplike!

Voltar