Certificado Great Place to Work

8 dicas para uma boa gestão financeira empresarial

Veja mais

Uma gestão financeira empresarial que seja eficiente tem grande importância no desenvolvimento de um negócio e é o ponto de partida para ações estratégicas. Com isso, o crescimento se torna mais expressivo e os riscos de prejuízos são reduzidos.

Mas, como é possível gerenciar as decisões pensando no sucesso da empresa? Entender quais são as práticas que influenciam de maneira positiva é essencial se o seu objetivo é ter uma boa gestão. Selecionamos 8 dicas que ajudarão a potencializar suas estratégias financeiras. Confira a seguir!

1. Faça um planejamento estratégico

Em uma empresa, é essencial que os gestores se preocupem em criar um planejamento estratégico que direcione as ações de forma eficiente e de acordo com os objetivos que foram fixados. Quando há um controle dos próximos planos, é possível definir com segurança quais são os investimentos necessários.

Fazer esse tipo de acompanhamento ajuda a entender que decisões apresentam riscos financeiros para a organização ou, ainda, quais projetos são vantajosos e precisam de mais recursos.

Por isso, fazer um planejamento estratégico analisando fatores como cenário atual do mercado, insumos da empresa, objetivo almejado e o caminho que será percorrido para alcançá-los é fundamental para ter uma gestão financeira mais produtiva.

2. Mantenha a organização dos registros

Uma gestão financeira depende, em grande parte, da organização da empresa em relação aos registros bancários e demais documentos envolvendo pagamentos, receitas e assim por diante. Se não há uma padronização na hora de organizar os registros, é mais difícil ter o controle de todos esses dados, o que pode resultar em prejuízos.

Portanto, conte com o auxílio de softwares e outras ferramentas que contribuem com o armazenamento dos principais documentos do negócio.

3. Utilize a tecnologia

Usar a tecnologia para automatizar processos e agilizar o controle financeiro é essencial se você deseja garantir a otimização de tempo dos colaboradores e a organização de documentos e informações importantes sobre a situação de sua empresa.

Com ferramentas e softwares, é possível ter mais tempo para aplicar esforços em decisões estratégicas, já que atividades operacionais podem ser atribuídas a sistemas de automação. Ao implementar tais recursos tecnológicos, a equipe conseguirá desenvolver melhor outras habilidades específicas que ajudam no crescimento da empresa.

Além disso, a tecnologia colabora para ter mais precisão em registros financeiros e outros dados, sendo que as decisões também costumam ser mais eficientes e compatíveis com a realidade da organização.

4. Reduza os gastos desnecessários

Outro ponto que influencia na gestão financeira empresarial é a redução de gastos desnecessários. Quando você evita desperdícios, garante uma performance melhor e, além disso, reduz os riscos de prejuízos ou dívidas que não oferecem benefícios para a empresa.

Então, é fundamental entender quais são as principais necessidades do negócio e analisar de maneira minuciosa quais são os gastos dispensáveis, ou seja, aqueles que não fornecem um retorno tão positivo e, portanto, podem ser eliminados.

Há ainda a possibilidade de economizar em outros aspectos, optando, por exemplo, pela redução da taxa de energia com a prática de ações que ajudam nesse sentido.

5. Faça o controle de fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um dos processos mais importantes para a saúde financeira de um empreendimento. É por meio dele que você verifica as entradas e saídas dentro de um determinado período e, quando isso não é feito com frequência, o risco de perder o controle dos registros é alto.

É durante esse processo que você consegue entender o que tem disponível no caixa e o quanto pode ser investido para fazer novas aquisições ou cobrir despesas, por exemplo.

Por isso, estabeleça uma periodicidade ao realizar o controle do fluxo de caixa para que esses aspectos não sejam despercebidos. Em muitos casos, os gestores não se preocupam em ter uma organização eficiente e, por fim, as dívidas superam as receitas, o que se torna um ponto negativo para a organização, gerando uma situação financeira ruim.

6. Conheça seus objetivos

Ter objetivos é importante para entender aonde quer chegar e que ações serão importantes ao longo do caminho. Mais do que registrar quais são as metas da empresa, é essencial realizar um acompanhamento de perto para entender o que está sendo feito para alcançá-las e se há algum ajuste que pode ser feito visando a uma melhor performance.

Fazendo isso, é possível garantir a saúde financeira do negócio, pois investimentos e despesas serão compatíveis com os objetivos.

7. Identifique pontos de melhoria

Analisar frequentemente quais são as falhas cometidas e como elas estão prejudicando seu orçamento financeiro também é um dos pontos que merecem atenção e podem ser levados em conta ao gerenciar o negócio.

Quando os gestores estão cientes da rotina empresarial e conseguem manter um controle atualizado do setor financeiro, fica mais fácil apontar o que precisa ser aprimorado. Recursos como relatórios e demais ferramentas tecnológicas são uma boa fonte de informações e ajudam a entender o cenário da empresa por meio de dados e números mais precisos. Com uma avaliação financeira do negócio, a equipe toma melhores decisões e conhece a fundo quais são as necessidades.

8. Tenha um bom controle do estoque

Se a empresa conta com um estoque eficiente e organizado, as chances de otimizar os recursos financeiros e ter resultados positivos aumentam. Isso ocorre porque o armazenamento de materiais e produtos engloba diversos aspectos, como negociação com fornecedores, uso correto desses itens e assim por diante.

Dessa maneira, priorize a precisão ao registrar a entrada e saída de produtos, estabeleça um controle para checar a validade dos itens e busque boas negociações com fornecedoras. Estar atento a esses pontos minimiza os riscos de desperdício e melhora as oportunidades de compra do negócio.

Fazer a gestão financeira empresarial é indispensável para ter bons resultados. Sem isso, os riscos de ter gastos excessivos ou investimentos inadequados são maiores e as consequências negativas para a gestão podem durar por um longo período. Por outro lado, se as preocupações dos gestores estão focadas em um controle eficiente, os recursos serão bem-utilizados e, assim, ocorrerá o crescimento da organização.

Gostou deste conteúdo? Então, assine nossa newsletter e receba as atualizações diretamente em seu e-mail!

Voltar