Gestão orçamentária: entenda como deve ser realizada na sua empresa

Veja mais

Em qualquer empresa, ter o controle da situação financeira é indispensável para ser bem-sucedida e ter melhores resultados. Por isso, os gestores precisam se preocupar com a gestão orçamentária para que as possibilidades envolvendo custos e receitas sejam avaliadas.

Fazer isso garante mais estabilidade e crescimento, além de minimizar os riscos associados. Então, é importante entender o que é necessário para desenvolver uma gestão orçamentária mais focada nas necessidades de sua empresa com o objetivo de manter o equilíbrio financeiro e ter uma lucratividade maior.

Pensando nisso, selecionamos algumas informações úteis sobre como realizar a gestão orçamentária de maneira eficiente. Continue acompanhando!

O que é e como funciona a gestão orçamentária?

A gestão orçamentária tem grande importância na saúde financeira da empresa, sendo um fator que contribui para a tomada de decisões. Assim, essa estratégia envolve a projeção feita por gestores sobre as despesas, receitas e investimentos.

Ou seja, por meio de uma análise completa de dados, é possível estruturar uma base para o orçamento pensando em situações que podem ocorrer no futuro e riscos que estão envolvidos em estratégias e ações. Com um gerenciamento eficiente, você consegue administrar com maior clareza o setor financeiro, minimizando as chances de prejuízos.

Como é elaborado o plano orçamentário?

De acordo com o que vimos acima, o plano orçamentário é baseado em dados e informações retiradas do histórico financeiro e da análise do mercado. Durante a elaboração, é importante realizar um levantamento para garantir decisões mais precisas e compatíveis com as necessidades da empresa. Então, considere fazer projeções de pontos, tais como:

  • investimentos operacionais a serem feitos;
  • média do faturamento;
  • capital de giro.
  • eventuais custos e despesas.

Esses são alguns elementos que estão incluídos na gestão orçamentária e fazem toda a diferença ao decidir quais ações serão implementadas. A análise pode ser realizada pelo gestor de cada setor, sendo que o responsável elabora o orçamento de acordo com os custos e receitas que englobam as atividades e funções da área.

É possível ter um orçamento mais eficiente e que realmente atenda às expectativas, pois os colaboradores que atuam no setor conhecem a fundo o que é necessário para desenvolver um bom planejamento financeiro.

Além disso, a simulação de cenários é uma prática bastante útil ao elaborar o plano orçamentário da organização. Fazer isso envolve a revisão de todo o documento, analisando uma série de fatores que podem acontecer e novas projeções relacionadas a mercado, situação financeira e outros.

Dessa forma, é feita uma análise pela diretoria ou conselho para verificar se há alguma alteração ou informação que pode ser adicionada, visando sempre garantir um orçamento completo e eficiente.

Fazer simulações alternativas e em diferentes cenários é importante para a criação de boas estratégias e contribui caso seja necessário fazer uma reestruturação do plano, distribuindo valores de forma adequada.

O que considerar ao definir o mínimo e máximo de gastos?

Um dos pontos principais ao definir o mínimo e o máximo de gastos é conhecer o objetivo de sua empresa e alinhar isso às suas expectativas. Ademais, compreender os custos relacionados a cada setor facilita a distribuição dos recursos financeiros que você tem disponível e quais são os valores que não podem ser ultrapassados.

O conhecimento sobre a rotina financeira da empresa e sobre o que se espera alcançar ao longo do tempo são fatores a serem considerados, pois ao entender o contexto em que seu negócio se encontra, fica mais fácil fazer a projeção dos gastos, definindo o mínimo e o máximo.

Lembre-se também de considerar o faturamento e os investimentos que pretende realizar dentro de um determinado período. Essas informações ajudarão a ter uma base sobre as operações financeiras e quanto poderá ser investido em setores ou departamentos do negócio.

Como deve ser o acompanhamento de resultados?

Após a decisão final sobre a gestão orçamentária, é crucial criar uma rotina de acompanhamento dos resultados para entender se a empresa está se adaptando ao modelo implementado e se a situação financeira é compatível com os objetivos que foram estabelecidos inicialmente.

Fazer essa análise dos resultados envolve o uso de alguns recursos que ajudam a identificar com facilidade se o orçamento aplicado é eficiente ou não. Você pode contar com ferramentas, como relatórios e indicadores.

Os relatórios colaboram para uma análise sobre os principais aspectos da implementação do orçamento e aponta quais alterações podem ser realizadas. Além disso, se esse documento for completo, os gestores conseguem detectar as principais tendências no negócio e vários outros pontos que foram registrados ao longo do tempo.

Em um relatório, é possível entender a situação financeira da organização ao conferir prazos de pagamento, rentabilidade nos meses anteriores, taxas utilizadas, capital de giro e por aí vai. Por isso, apostar na elaboração desses documentos é fundamental para garantir um panorama completo sobre o histórico da empresa e o que foi decidido em períodos anteriores.

Já os indicadores de desempenho — também conhecidos como KPIs (Key Performance Indicators) — estão aliados à performance da empresa quanto ao orçamento definido. Por meio das métricas, você verifica com precisão como está o desempenho financeiro com as estratégias aplicadas. É com base nesses indicadores que a equipe avalia os resultados e quais ações tiveram um melhor retorno.

Realizar a gestão orçamentária permite criar a simulação de cenários que afetam a empresa e quais soluções serão aplicadas para garantir a saúde financeira. Isso é feito de maneira adequada quando os gestores analisam o histórico da organização e consideram tais dados como ponto de partida em novas decisões. Dessa forma, é possível ter um controle eficiente do faturamento e também das principais despesas, o que é essencial para alcançar resultados mais satisfatórios.

Gostou deste post? Esperamos que essas sugestões tenham sido úteis em sua pesquisa sobre o tema e que contribuam para o bom desempenho de sua empresa. Já que você tem interesse em aprender mais sobre o assunto, leia também nosso post que explica como funciona o orçamento base zero e quais são as principais diferenças entre esse modelo e o tradicional.

Voltar