Certificado Great Place to Work

FIDC: o que é e quais as suas vantagens?

Veja mais

Se sua empresa precisa de capital de giro com agilidade, já deve ter ouvido falar nos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios. Mas você sabe exatamente o que é FIDC?

Ao mesmo tempo que é um tipo de aplicação financeira, é uma oportunidade para as empresas conseguirem o dinheiro de que precisam sem burocracia e de forma prática. Isso acontece porque você vende os direitos creditórios para uma empresa especializada e recebe a quantia à vista.

É bem provável que você tenha percebido que essa é uma chance para solucionar seus problemas, certo? No entanto, ainda surgem alguns questionamentos: como funciona? Quais são as vantagens? Como investir no FIDC?

Vamos responder essas perguntas neste artigo. Que tal saber mais?

O que é Fundo de Investimento em Direitos Creditórios?

Os direitos creditórios são títulos que sua empresa alcança como resultado de suas vendas e negociações, mas têm prazo futuro. São papéis comercializados a prazo, cujos valores serão recebidos em alguns dias ou meses. Por isso, estão enquadrados nessa categoria: duplicatas, cheques e outros tipos de crédito.

Quando a empresa precisa de capital de giro com agilidade, tem essa alternativa à sua disposição. A ideia é vender esses direitos creditórios antes do vencimento e ter acesso ao recurso para honrar seus compromissos de curto prazo.

A compra é feita por uma instituição financeira, que repassa a quantia do título com o desconto de algumas taxas. Porém, essas são menores que qualquer taxa de juros implicada em uma negociação financeira.

O dinheiro repassado para sua empresa nesse processo de venda de títulos provém de um fundo de investimento, como o nome indica. Eles funcionam como um condomínio. Em outras palavras, pessoas físicas e jurídicas investem alguma quantia e adquirem cotas. Um profissional especializado gerencia os valores e busca o lucro.

Portanto, os FIDCs são aplicações financeiras com retorno derivado da diferença do que é pago na aquisição dos direitos creditórios e o montante recebido no momento que o título é quitado.

Como funciona?

Os créditos das operações realizadas podem ser transformados em cotas de FIDC. É o caso de sua empresa comercializar algumas duplicatas com vencimento para 30 dias. É formada uma carteira de recebíveis adquirida pelo fundo e, a partir disso, o direito de receber o pagamento futuro dos clientes passa a ser da instituição financeira — afinal, você já recebeu o valor à vista.

Como as contas a receber são antecipadas, seu capital de giro se mantém em dia e as finanças permanecem saudáveis. Para os investidores, é a oportunidade de receber rendimentos devido à diferença entre o valor do título e o que o fundo repassa para a empresa.

Por exemplo: se uma indústria do segmento têxtil adianta R$200 mil que estarão disponíveis em 30 dias, o FIDC vai pagar um valor mais baixo, como R$190 mil — no caso de uma taxa de 5%. Esse investimento é feito na hora e sem burocracia com a garantia de que o valor futuro será recebido em sua totalidade.

A rentabilidade do FIDC

O fundo não acompanha um setor específico da economia, mas sua rentabilidade está atrelada ao CDI, que segue a Selic, taxa básica de juros da economia e é definida pelo Banco Central. O Certificado de Depósito Interbancário, por sua vez, é a referência dos investimentos realizados entre as instituições financeiras.

Assim, o lastro — isto é, a garantia — dos investimentos é a própria cota integrante do total do patrimônio líquido do fundo. A quem investe, existe a possibilidade de adquirir essa fração de um fundo. A soma de todas aquelas adquiridas resulta no valor do patrimônio. Nesse contexto, existem duas possibilidades:

  • cota sênior: é a prioritária, com remuneração de 140% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Oferece prioridade no resgate. Seu rendimento é sempre fixo;
  • cota mezanino: é subordinada à anterior, mas oferece uma porcentagem maior, de 160% do CDI.

O resgate é realizado no prazo máximo de 30 dias. O pagamento é feito de forma regular na mesma semana em que é solicitado e a tributação é retida na fonte. Portanto, é descontado na hora do repasse do valor, de acordo com a tabela do Imposto de Renda:

  • 22,5% até 180 dias;
  • 20% de 181 a 360 dias;
  • 17,5% de 361 a 720 dias;
  • 15% acima de 720 dias.

Quais são as vantagens em relação às operações bancárias?

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios atua na compra e venda de recebíveis para a antecipação dos valores. Devido a essa peculiaridade, oferece vários benefícios financeiros a quem participa da operação, seja como empresa que obtém capital de giro, seja como investidor.

Uma das principais vantagens é o fato de ser um investimento de baixo risco. Isso porque o passivo é diluído em diversos títulos e são utilizados diferentes indicadores e plataformas de dados, além de vários níveis de análise para aprovação da compra do papel. O resultado é a garantia de que ele está enquadrado na política de crédito do fundo.

O resultado é uma carteira altamente diversificada, que reduz a concentração de risco. O administrador e o gestor do fundo também seguem a política de crédito determinada e apostam em controle de prevenção de fraudes. Desse modo, os possíveis problemas com um título são antecipados.

No caso da Multiplike, especializada nesse investimento, há a auditoria mensal da Baker Tilly. A agência de risco Liberum Rating também faz uma avaliação trimestral das atividades e da carteira de títulos e fornece uma classificação, que, atualmente, é A.

De quebra, há isenção de tarifas, porque a taxa é descontada da empresa que vende o título na hora e mais agilidade, porque a liberação da negociação é feita pelo software de gestão de maneira automática.

Por fim, uma empresa confiável está de acordo com o que a lei determina. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é o órgão regulador dos FIDCs e tem controle rígido quanto à gestão dos ativos. Pesquisar uma instituição financeira autorizada representa segurança na hora de negociar.

Com investir no FIDC?

Essa modalidade é indicada a todos os perfis de investidores que procuram boa rentabilidade com baixo risco. Esse é um investimento com características de renda fixa. Por isso, é uma boa opção para quem deseja diversificar a carteira.

Para quem deseja investir nessa modalidade, o ideal é procurar uma instituição financeira já especializada nessa aplicação, como a Multiplike. É o que eu sempre indico a quem me pergunta sobre essa opção. Afinal, é a maneira mais prática e rápida.

Para isso, basta entrar em contato com a instituição financeira e aplicar o valor desejado. O rendimento obtido todos os meses é repassado de forma automática, sem burocracia ou problemas.

Dessa forma, você investe seu capital em uma empresa de qualidade, que tem conhecimento e trabalha com profissionais especializados. Se precisar negociar um título, também pode contar com a mesma instituição financeira. Assim, você estabelece um relacionamento de longo prazo em que todos ganham.

Gostou de saber o que é FIDC? Entre em contato com a Multiplike, veja como pode se beneficiar e comece a investir no FIDC a partir de agora!

Voltar