Certificado Great Place to Work

O que é rating e qual a importância para as empresas?

Veja mais

Manter um fluxo de investimentos contínuos é importante para qualquer empresa. Mas quando um negócio busca no mercado externo meios para alavancar recursos, é importante que os gestores saibam o que é rating e a sua importância. Afinal de contas, essa avaliação impactará em grande parte das perspectivas da companhia ao realizar um investimento.

Conhecer o que é rating e como ele é estruturado, portanto, é fundamental para o sucesso da empresa. Essa avaliação permite que negócios tomem empréstimos com taxas menores e consigam acesso às melhores oportunidades do mercado.

Se você ficou curioso e quer saber mais sobre o que é rating, leia o post a seguir!

O que é rating?

Rating é o termo utilizado para as classificações de crédito, nota ou avaliação de risco. Essa análise geralmente é feita por auditorias especializadas e apontam a capacidade de empresas pagarem as suas dívidas a médio e longo prazo. Em outras palavras, o rating é uma métrica que aponta a saúde financeira de um negócio.

A nota de rating geralmente é feita com sinais aritméticos e letras. Em geral, a melhor nota é a AAA e a pior é D. Quanto mais próximo uma empresa estiver da letra D, maiores são os riscos relacionados ao investimento nela.

As agências de avaliação de risco também adotam o rating para países, municípios e governos estaduais. Neste caso, o objetivo é semelhante (apontar as chances da administração pública honrar os seus compromissos fiscais). Quanto pior o rating, maior será a taxa de juros utilizada pelo governo para emitir dívidas e contrair empréstimos no mercado.

Como o rating funciona?

A avaliação do rating geralmente é feita por agências especializadas. Elas operam mediante remuneração e são contratadas pelas empresas ou governos que desejam ser classificados.

A agência de rating faz uma avaliação completa das contas do seu contratante. Isso inclui, mas não se limita a itens como:

  • o tamanho das dívidas existentes;
  • as perspectivas financeiras a médio e longo prazo;
  • o histórico de vendas;
  • a situação do setor econômico em que o negócio encontra-se;
  • processos judiciais existentes;
  • o impacto que regulamentações podem ter no lucro das empresas;
  • o balanço patrimonial da empresa;
  • o impacto que ativos e passivos podem ter nas receitas;
  • as percepções sobre o negócio;
  • os processos de governança e transparência existentes.

Cruzando todos esses registros, o analista dará uma nota ao negócio com o apoio em técnicas quantitativas consolidadas pelo mercado. Ela apontará a probabilidade do não pagamento de dívidas, assim como a saúde financeira da companhia. Ou seja, o rating final será capaz de mostrar, de uma maneira simples e objetiva, se a empresa tem um grau de investimento sólida ou é considerada um negócio com grau especulativo.

Por que é importante ser bem avaliado pelo mercado?

O mercado de investimentos brasileiro é um dos maiores do mundo. A diversidade da nossa economia atrai agentes de todo o planeta em busca de oportunidades. Nesse cenário, saber escolher entre o melhor ambiente para realizar a aplicação de recursos muitas vezes pode ser algo complexo.

Para se destacarem, empresas devem estar preparadas e adotarem todos os recursos que forem possíveis. Isso inclui ações como projetos de marketing, um bom posicionamento da marca e uma melhor relação com consumidores.

Além disso, o negócio pode fortalecer a governança interna e implementar práticas de compliance. Elas reduzem riscos e melhoram a capacidade de a companhia tomar decisões eficientes e alinhadas com as demandas do mercado.

Nesse sentido, saber o que é rating e aplicá-lo no dia a dia é algo fundamental. Ele se destaca como uma forma inteligente de demonstrar para investidores em potencial a saúde financeira de uma empresa. Esse indicador é um dos principais meios para mostrar ao mercado que o negócio é um bom pagador de dívidas e fornece baixo risco para quem pretende realizar aplicações financeiras.

Em outras palavras, o rating é um meio simples de identificar que a empresa pode honrar com os seus compromissos. Ele permite identificar se há a chance de calotes ocorrerem, assim como as possibilidades de ganhos ao realizarem um investimento. Como consequência, as empresas sempre devem estar atentas a ele.

Se o negócio estrutura processos que melhoram a sua nota de rating, o custo para obter empréstimos cairá rapidamente. A empresa receberá mais atenção de investidores, o que facilita a busca por novas parcerias. Ao mesmo tempo, o gestor poderá manter o nível de competitividade atraindo novos parceiros comerciais com facilidade.

Qual a importância do rating para quem faz investimentos?

O rating também é importante para quem faz investimentos. Como apontamos, esse indicador aponta a saúde financeira de empresas e governos considerando vários fatores. Por isso, todas as pessoas que fazem investimentos em títulos de renda fixa, fundos de previdência ou mesmo no mercado de ações devem ter uma visão completa sobre o rating dos envolvidos no processo.

Sabendo a nota de risco das aplicações, o investidor pode se preparar de maneira mais abrangente. Prejuízos serão evitados e a previsão de receitas será mais precisa.

Ao mesmo tempo, os investimentos estarão alinhados com o sue perfil de risco, algo crucial para o sucesso de qualquer estratégia. Como consequência, o impacto de escolhas ruins será menor e as chances de o investidor atrair mais lucros para a sua carteira serão maximizadas.

A busca por investimentos de parceiros faz parte da história de qualquer negócio. Para alavancar recursos e executar projetos ou desenvolver novos produtos, parceiros externos são sempre procurados. Afinal, por meio da injeção de capital, negócios podem expandir a sua atuação sem grandes riscos.

Para facilitar esse processo, a identificação do grau de investimento de um negócio é algo crítico. Por isso, todo gestor deve saber o que é rating e como ele funciona. Dessa forma, será mais fácil preparar a empresa para novos investimentos e garantir que ela estará pronta para lidar com as demandas de investidores e parceiros externos.

Você já trabalhou com a busca por capital de giro com o apoio de parceiros externos? Conte para nós como foi essa experiência nos comentários!

Voltar