Por onde começar a investir? Descubra a resposta!

Veja mais

Investir o seu dinheiro permite rentabilizar seus recursos e ajuda a atingir objetivos. Com essa estratégia, é possível construir patrimônio e concretizar planos graças aos recursos obtidos. Mas por onde começar a investir?

Dar os primeiros passos de maneira informada é essencial para iniciar bem e obter uma performance satisfatória desde cedo. Para tanto, vale a pena conhecer conceitos e estratégias que podem lhe ajudar.

A seguir, veja dicas para dar início aos investimentos e descubra como atingir seus objetivos!

Como ajustar seu planejamento financeiro?

Antes de pensar nos investimentos é preciso cuidar corretamente do seu dinheiro. Sendo assim, é necessário elaborar um bom planejamento financeiro. Comece organizando seus recursos, sabendo o quanto você ganha e o quanto gasta.

Depois, estabeleça metas de economia para conseguir juntar o suficiente para dar início aos investimentos. Esse hábito de poupar é muito importante e deve ser construído desde cedo, pois permitirá que faça aportes frequentes e tenha consistência ao investir.

Além de um bom orçamento, devem-se usar ferramentas de controle, o que significa registrar e identificar cada entrada e cada saída. Assim, é possível manter o planejamento em dia — e manter a disciplina de fazer investimentos mensais, por exemplo.

Por onde começar a investir?

Após organizar e estruturar o seu orçamento, é o momento de dar os primeiros passos rumo às aplicações financeiras.

Para saber como começar a investir dinheiro, veja algumas dicas!

Conheça o tripé dos investimentos

Antes de tomar qualquer decisão é fundamental que você conheça o tripé dos investimentos. Ele é composto por três elementos: segurança, retorno e liquidez. A ideia é que só é possível maximizar dois desses aspectos, em detrimento do outro.

Ou seja, um investimento seguro e com bom retorno, provavelmente, não terá liquidez. Já um investimento seguro e líquido costuma ter menos retorno, enquanto um investimento com alta rentabilidade e ampla liquidez tende a ser mais arriscado.

Isso é importante para que você possa definir suas prioridades, sabendo que é preciso abrir mão de um para alcançar os outros resultados.

Identifique seu perfil de investidor

Como todo investimento tem riscos, saber por onde começar a investir envolve entender qual é a sua tolerância a eles. Então, ainda na largada, é necessário reconhecer qual é o seu perfil de investidor.

Ele se divide em três classificações:

  • conservador: tem baixa tolerância à volatilidade e prioriza a segurança e a liquidez;
  • moderado: consegue absorver um pouco mais de riscos se isso se refletir em maior potencial de retorno;
  • arrojado ou agressivo: tem o maior apetite ao risco entre os perfis e busca otimizar a rentabilização da carteira.

Saber em qual classificação você se encaixa é importante para estar confortável com as decisões e alcançar uma performance consistente.

Defina objetivos financeiros

Depois de saber qual é sua tolerância ao risco, estabeleça os objetivos financeiros. Eles variam entre curto, médio e longo prazo — e cada período requer que você saiba investir dinheiro de forma alinhada.

Se o seu objetivo for construir patrimônio para aposentadoria, por exemplo, pode ser melhor focar em investimentos de longo prazo. Já se os planos estiverem mais próximos, talvez o ideal seja escolher investimentos de curto e médio prazo.

Como é normal ter objetivos para diferentes fases da vida, faz sentido que sua carteira contemple prazos distintos. Por isso, é fundamental saber como associar cada um aos objetivos.

Monte uma reserva de emergência

Para investir dinheiro com mais segurança é preciso dispor de uma reserva financeira ou de emergência. Ela deve corresponder a 6 meses dos seus custos médios e serve para garantir cobertura em caso de imprevistos na sua vida financeira.

A sua existência impede que você tenha que resgatar investimentos antes do tempo ou que tenha receio de escolher uma alternativa por medo de precisar dos recursos, por exemplo. Além disso, ela ajuda a manter o planejamento financeiro definido no início.

Em termos de investimento, faz sentido aplicá-la em produtos seguros e líquidos. Assim, você protege o montante, obtém alguma rentabilidade e ainda pode resgatar os valores quando precisar.

Conheça o investimento na renda fixa

Para quem deseja saber por onde começar a investir, a renda fixa costuma ser a alternativa mais buscada. Isso porque ela oferece menos riscos que a renda variável — como é o que acontece ao investir na bolsa de valores.

No caso da renda fixa, você poderá alocar seus recursos em títulos de diversos emissores, com regras definidas de remuneração. Desse modo, há previsibilidade e a segurança. Geralmente, quanto mais segura é a aplicação, menor é a taxa de juros oferecida.

Entre as alternativas para quem busca ganhos um pouco maiores na renda fixa, há o crédito privado. Ele envolve títulos com um pouco mais de risco e potencial ampliado de retorno. Entre os exemplos, estão os certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do agronegócio (CRA).

O CRI e o CRA são emitidos por securitizadoras, que transformam direitos creditórios em títulos negociáveis. Também há exemplo de debêntures, emitidas por empresas. Como os riscos são maiores, é importante saber se proteger.

Ao escolher títulos com alto rating ou classificação de risco, você consegue ter mais segurança. Ao mesmo tempo, tem a chance de ganhar mais e de rentabilizar o seu patrimônio.

Diversifique a carteira

Apesar de o perfil de investidor servir como um norte para a seleção de produtos financeiros, é importante não concentrar todos os seus investimentos em uma mesma opção. O ideal é começar a investir já com foco na diversificação.

Ao optar por investimentos de emissores, riscos e características diferentes, você aumenta o potencial de ganhos e amplia a segurança. Afinal, perdas em um produto podem ser compensadas pelos resultados de outro, em vez de ocorrer um grande impacto.

Como visto, os títulos do crédito privado podem ajudar nessa diversificação – uma vez que oferecem um retorno mais atrativo entre as alternativas de renda fixa. Por fim, também há opções de renda variável para quem tem abertura maior ao risco.

Após conhecer essas dicas, você já sabe por onde começar a investir. Ao aplicar as orientações, poderá montar e executar uma estratégia para levá-lo aos resultados desejados. Não deixe de investir com frequência e continuar estudando o assunto!

Quer descobrir títulos de crédito privado que podem fazer parte da sua carteira de investimentos? Conheça as oportunidades para investidores oferecidas pela Multiplike!

Voltar