Como escolher produtos financeiros para a carteira de longo prazo?

Veja mais

Na hora de investir, pode ser interessante pensar no futuro com um horizonte mais distante. Isso significa investir com foco no longo prazo, o que exige selecionar os produtos financeiros adequados para tal objetivo.

Com uma carteira focada nesse prazo, você tem a chance de consolidar patrimônio, obter um futuro tranquilo e realizar seus objetivos individuais. Porém, para que isso seja possível, o portfólio deverá ser composto por alternativas de investimento adequadas.

Para saber como acertar na escolha, continue a leitura e veja o que é preciso conhecer sobre os produtos financeiros voltados para uma carteira de longo prazo!

O que é uma carteira de longo prazo?

A carteira de investimentos funciona como um conjunto de todos os investimentos escolhidos em sua estratégia. Assim, é o resultado das suas decisões no mercado financeiro. Ela pode ser criada com diversos objetivos, o que inclui o prazo de obtenção do retorno.

Uma carteira de longo prazo, portanto, é composta por produtos financeiros que têm um vencimento igual ou superior a 5 anos. Montar a sua é um passo essencial para se preparar para o futuro e obter as vantagens de investir com foco nesse espaço de tempo.

Quais são as características de uma carteira de longo prazo?

Para que a carteira seja considerada de longo prazo, ela deve apresentar certa configuração quanto ao funcionamento. Conhecê-las é importante porque, com base nessas qualidades, é possível saber quais são os produtos financeiros adequados para o portfólio.

Nesse sentido, um dos fatores que devem ser avaliados é o prazo de manutenção maior. Isso significa manter o dinheiro investido por um tempo mais longo para consolidar os resultados. Assim, vale a pena considerar as alternativas que exigem um prazo de maturação maior.

Normalmente, isso vem com prazos de vencimentos mais longos, sem resgates antecipados — exceto caso recorra ao mercado secundário. Portanto, é uma característica que pode gerar menos liquidez, mas costuma ajudar na conquista de um melhor desempenho.

Diante disso, pode fazer sentido compor a carteira de longo prazo com produtos que tenham um potencial maior de rentabilidade, certo? Em complemento, os juros compostos são determinantes para favorecer o acúmulo de resultados em um horizonte maior de tempo.

Ainda, vale saber que, mesmo na renda fixa, existem alternativas com maior exposição ao risco, que também podem potencializar o retorno.

Não menos importante, uma carteira do tipo deve ser diversificada. Por meio dessa estratégia, é possível diluir os riscos e buscar uma performance melhor ao evitar a concentração em apenas um tipo de risco ou de produto.

O que são produtos financeiros?

Ao falar na carteira para longo prazo, é comum citar os produtos financeiros. Eles podem abranger desde ofertas de crédito até investimentos. Porém, quando se trata de um portfólio de investimentos, é comum que o termo se refira aos títulos emitidos para captação de recursos.

Isso pode ser feito pelo Governo, por instituições financeiras ou por empresas, por meio de securitizadoras, visando levantar valores para utilizar em estratégias variadas. Na prática, funcionam como um empréstimo em que o investidor é o credor, que receberá os juros acordados como retorno.

Diante do objetivo de construir patrimônio e obter resultados em longo prazo, os investimentos de renda fixa são produtos financeiros importantes. Afinal, eles permitirão que você encontre meios de fazer o seu dinheiro render. Esse é um ponto fundamental para conquistar os seus objetivos financeiros.

Quais são os principais produtos financeiros para carteira de longo prazo?

Considerando as características de uma carteira de longo prazo, é interessante recorrer a investimentos com vencimento mais distante. Nesse caso, há como encontrar diversas aplicações de renda fixa, voltadas aos diferentes perfis de investidor.

Se quiser um investimento mais conservador, por exemplo, é possível escolher um certificado de depósito bancário (CDB). Ele é emitido por instituições financeiras e podem ter características variadas em relação à rentabilidade, liquidez e prazos.

Os títulos da plataforma do Tesouro Direto, emitidos pelo Governo Federal, são outra alternativa comum. Especialmente o Tesouro IPCA + e o Prefixado podem atender a diferentes objetivos de longo prazo. Ambas são tributadas pelo Imposto de Renda (IR) seguindo a tabela regressiva — entre 22,5% e 15% de alíquota.

Também é possível contar com as debêntures, que são títulos de dívida emitidos por empresas públicas ou privadas. Contudo, fazem parte do crédito privado e apresentam riscos um pouco maiores. Em troca, oferecem maior potencial de retorno.

Como costumam ter prazos superiores a 5 anos, podem integrar a carteira de longo prazo. Em relação à tributação, as regras dependem do seu tipo. Se for uma debênture incentivada, ela terá isenção de IR.

Como o CRI e o CRA podem ajudar sua carteira?

O CRI e o CRA também são alternativas de longo prazo, mas, por terem características únicas, merecem destaque. Chamados de certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do agronegócio (CRA), são investimentos da renda fixa e integram as opções do crédito privado.

A diferença é que eles são emitidos por securitizadoras, as quais ficam responsáveis por antecipar os recebíveis para empresas dos respectivos setores.

É o caso de uma construtora que finaliza um empreendimento e vende as unidades a prazo. Para dar início ao novo projeto, precisa de recursos, então decide antecipar os recebíveis com a securitizadora. A empresa passa a ter o direito de receber os valores devidos por parte dos clientes.

Esses direitos creditórios são transformados em títulos de crédito negociados no mercado e captam recursos junto aos investidores. O rendimento está atrelado aos pagamentos realizados pelos clientes, o que ajuda a justificar o longo prazo.

Eles dispõem de um pouco mais de risco na renda fixa, mas também podem ter uma rentabilidade maior. Como têm prazos longos, o CRI e o CRA se beneficiam do acúmulo de juros compostos.

Além disso, são isentos de IR para pessoas físicas, o que pode beneficiar o retorno líquido. Sendo assim, podem ser alternativas atraentes para equilibrar risco e retorno em um tempo maior.

Como visto, a sua carteira de longo prazo deve ser composta por produtos com vencimentos mais distantes. Entre as escolhas, CRI e CRA podem ser especialmente úteis na conquista de retorno ao longo do tempo, podendo ajudá-lo a atingir seus objetivos. Para saber mais sobre CRI e CRA, conheça as oportunidades que a Mutiplike oferece para investidores!

Voltar