Estudar sobre o mercado de investimentos significa se deparar com termos e funções que podem causar estranheza em um primeiro momento. Um deles é o custodiante. Você conhece o papel desse agente essencial em fundos?

Apesar de não ser um dos conceitos mais disseminados do mercado, esses agentes atuam em diversas frentes — especialmente com fundos de investimento. Por isso, é interessante conhecer mais sobre sua função.

Assim, neste artigo você entenderá o papel de uma instituição custodiante e como isso funciona em um fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC). Acompanhe a leitura!

O que é agente custodiante?

O primeiro passo para entender o assunto é conhecer o conceito de custódia. No meio jurídico, ela designa o ato de proteger ou guardar um bem ou uma pessoa. Ou seja, não significa uma posse, apenas assegura uma espécie de tutela.

Desse mesmo modo, a ideia pode ser transferida para o mercado de investimentos. Logo, uma instituição custodiante consiste no agente responsável por guardar os ativos de um investidor a fim de trazer mais segurança para essas posses.

Além disso, os custodiantes também atuam como intermediários em operações no mercado de investimentos. Para que você possa entender melhor, imagine que está avaliando investir em um fundo de investimentos.

Após fazer uma análise e escolher os fundos mais adequados para os seus objetivos, você faz o aporte, certo?  Contudo, a solicitação não é encaminhada diretamente para o fundo. Ela passa pelo agente custodiante — que, posteriormente, ficará com a custódia das cotas.

Entre esses agentes é possível usar como exemplo as corretoras, os bancos de investimento e outros. Vale destacar que a instituição custodiante precisa de autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para operar no mercado financeiro.

Dessa forma, essas instituições mantêm os ativos em segurança até que o investidor opte por solicitá-los. O objetivo da prática é garantir que eles fiquem em um ambiente seguro e o mercado possa operar com mais organização e eficiência.

Quais são as suas funções?

Agora que você entendeu o que é um agente custodiante, é interessante saber quais são suas funções no mercado. Assim, haverá uma maior clareza sobre o papel e a relevância do trabalho dessa instituição.

Confira!

Intermediar operações no mercado financeiro

Como você viu, uma das principais funções dos agentes custodiantes é de se posicionarem como intermediários nas transações financeiras. Dessa forma, eles recebem a solicitação dos investidores e conduzem os respectivos processos nas instituições depositárias.

Portanto, é papel do custodiante viabilizar compras, vendas e demais atividades de acordo com as solicitações do investidor. Além disso, caso o investidor receba proventos de seus investimentos, o pagamento do montante também ocorrerá com participação indireta do custodiante.

Manter os investidores atualizados sobre as movimentações

Outra função dos agentes custodiantes é manter o investidor atualizado sobre as movimentações financeiras em sua conta. Por isso, devem ser enviados comunicados de forma regular. O documento precisa conter, dentre outras informações, o extrato da conta.

Guardar os ativos em segurança

Somando-se às funções acima, também é papel das instituições custodiantes manter os ativos do investidor protegidos. Dessa maneira, eles são agentes capazes de trazer mais segurança e transparência para o mercado de investimentos.

Ademais, é necessário destacar que, no âmbito da carteira de investimentos, os investidores não possuem um compromisso exclusivo com apenas um custodiante. Caso opte por transferência, é possível levar o portfólio de investimentos para outro agente — solicitando essa alteração.

Qual a relevância do custodiante para um FIDC?

Como você viu, um agente custodiante tem uma função importante no mercado, não é mesmo? Mas, afinal, como ele se relaciona com um FIDC? É exatamente isso que você entenderá agora.

Confira!

O FIDC

Um fundo de investimento em direitos creditórios consiste em um veículo coletivo de investimento. Esse fundo destaca-se por ter estratégia centrada nos direitos creditórios — isto é, títulos de crédito lastreados em contas a receber.

Entre esses títulos estão aluguéis e cheques, por exemplo. Assim, uma securitizadora, como a Multiplike, pode transformá-los em títulos de crédito. Com isso, os FIDCs podem ter lucro quando os clientes quitam essas dívidas.

Esses veículos de investimento fazem parte da classe de renda fixa. Além de outros agentes, existe a presença de um gestor responsável por executar a estratégia do fundo. Logo, os cotistas se expõem aos resultados obtidos por ele.

Os agentes de um FIDC

Tal qual os demais fundos de investimentos, o FIDC conta com a presença de diversos profissionais para assegurar seu funcionamento. Por isso, é interessante entender o papel de cada um.

Como você viu, um desses agentes é o gestor do fundo. Esse profissional é responsável por realizar as alocações de capital de acordo com o planejamento prévio. Para isso, ele se dedica a estudar o mercado e identificar as principais oportunidades.

Além dele, também há o administrador do fundo. Esse agente, de forma mais comum, consiste em uma pessoa jurídica que monitora as transações da carteira e busca defender os direitos dos cotistas do veículo. Por fim, existe o custodiante.

A relevância do custodiante

A figura do agente custodiante é uma das mais relevantes nos fundos de investimento em direitos creditórios. Isso se justifica porque, além das funções que você viu acima, ele pode assumir novos papéis.

Existem cinco aspectos centrais que os custodiantes desempenham nesses veículos. São eles:

  • validar os direitos creditórios de acordo com os critérios de elegibilidade pré-estabelecidos;
  • receber e verificar o lastro desses títulos de acordo com a documentação;
  • concluir a liquidação física e financeira dos mesmos;
  • custodiar toda a documentação dos títulos e ativos que compõem o fundo;
  • realizar cobranças e receber renda em nome do fundo.

Dessa maneira, é possível perceber como os agentes custodiantes assumem uma função relevante nesses fundos de investimento. Assim, além de já trazer a segurança de estar na renda fixa, os FIDCs podem ser uma alternativa interessante pela presença dessas instituições.

Agora você sabe que o custodiante é uma figura importante no mercado de investimentos. E que essa figura ganha um destaque ainda maior quando se trata de um FIDC. Portanto, é fundamental conhecer o seu papel nessa modalidade para avaliar, com mais qualidade, as alternativas de fundos disponíveis no mercado.

Quer saber mais sobre os fundos de investimento em direitos creditórios? Entre em contato com a equipe da Multiplike!