Investimentos para pessoa jurídica: Tudo o que você precisa saber!

Veja mais

A realização de investimentos não está limitada às pessoas físicas. Na verdade, as empresas também podem aproveitar o mercado financeiro. Para tanto, devem buscar as alternativas de investimentos para pessoa jurídica.

Como você verá, o investimento para PJ pode trazer vantagens para o empreendimento e para sua presença no mercado. Então o aporte financeiro se destaca como uma das estratégias para consolidação e crescimento do negócio.

Na sequência, você conhecerá os aspectos mais relevantes sobre o investimento para empresa. Confira!

Por que é importante que empresas invistam?

Um investimento financeiro, como parte de uma carteira com diversos produtos, pode ajudar na construção de patrimônio. E isso vale tanto para pessoas físicas quanto pessoas jurídicas. No caso da empresa, ele pode auxiliar a melhorar seu balanço patrimonial, obtendo mais segurança financeira.

O investimento para empresas também é benéfico para fazer render o dinheiro que o empreendimento tem disponível. Parte do capital de giro pode ser investida para gerar retorno ao longo do tempo, favorecendo a gestão financeira.

Além disso, é uma forma interessante de compor uma reserva financeira. O rendimento do montante acumulado pode fortalecer o fluxo de caixa, ajudar a quitar determinadas contas e mesmo melhorar a capacidade operacional do negócio.

O investimento também pode ajudar no planejamento de determinados custos, como o 13º de funcionários. Portanto, os investimentos para pessoa jurídica estão ligados à segurança financeira e ao aumento do patrimônio, ajudando a empresa a se tornar mais competitiva, robusta e duradoura.

Como pessoas jurídicas devem se preparar para investir?

Agora você viu que vale a pena investir. Mas antes de conhecer e selecionar as opções de investimentos, o negócio deve se preparar para fazer os aportes. Isso exige organização e tomada de decisão, afinal é uma atitude importante e afeta o futuro da empresa.

Por esse motivo, tudo começa com o planejamento estratégico. É fundamental contemplar a realização de investimentos no plano de negócios, para que tudo aconteça de forma estruturada. Em seguida, dê atenção ao controle financeiro empresarial.

O processo inclui o cuidado com a movimentação financeira, os registros dos valores e a elaboração de um orçamento completo. O investimento deve estar previsto no uso do dinheiro, pois é o que garante capacidade financeira de fazer aportes.

Com os recursos necessários, a pessoa jurídica pode começar a analisar as alternativas disponíveis e escolher o que fizer sentido para os objetivos e para a tolerância ao risco.

No geral, a diversificação de carteira é bem-vinda, porque ajuda a diluir os riscos e também melhora o potencial de ganhos. Então essa questão deve ser considerada para que seja possível realizar alcançar os objetivos esperados.

Quais são as alternativas de investimentos para pessoa jurídica?

O mercado financeiro é repleto de oportunidades, tanto na renda fixa quanto na renda variável — e elas podem ser aproveitadas por pessoas jurídicas. Uma das exceções fica para o investimento em títulos públicos, negociados na plataforma Tesouro Direto.

O programa foi criado exclusivamente para dar acesso aos títulos para pessoas físicas. Portanto, as empresas não conseguem incluir essas alternativas em sua carteira. Porém, há títulos privados que podem ser aproveitados, como você verá a seguir.

Conheça oportunidades em destaque!

Crédito privado

Entre as escolhas, os investimentos que compõem o crédito privado podem ser boas opções para empresas. Eles apresentam um risco um pouco maior que outras aplicações da renda fixa, mas também trazem um potencial maior de retorno.

É o caso de investir em certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do agronegócio (CRA). Esses títulos são emitidos por uma securitizadora, a qual é a responsável por antecipar os recebíveis de empresas desse setor.

Os negócios, então, concedem os direitos creditórios, que são transformados em títulos. Assim, os investidores são remunerados pela taxa de juros sobre os aportes financeiros.

Essa pode ser uma escolha para empresas que desejam fazer o dinheiro render com um pouco mais de segurança do que na renda variável, por exemplo. Também é possível encontrar alternativas com prazos distintos, atendendo melhor a cada necessidade.

Ações

As empresas têm, ainda, a chance de investir em renda variável, como forma de diversificar a carteira. Um dos mais conhecidos é o investimento em ações. A compra dos papéis garante a participação nos resultados do negócio escolhido, incluindo o pagamento de dividendos.

Em geral, investir em ações significa alocar os recursos em longo prazo. Portanto, o ideal é destinar um montante que não precisará ser usado em curto ou médio prazo. Dessa maneira, é possível diluir parte dos riscos ao longo do tempo.

Apesar disso, essa é uma alternativa de maior risco. Por isso, é preciso ter cautela antes de tomar uma decisão de investimentos para pessoa jurídica.

Fundos de investimento

Também há fundos de investimento focados em diferentes ativos, seja de renda fixa ou variável. Assim, a empresa pode escolher o que fizer mais sentido para a estratégia do negócio, rumo à conquista de objetivos financeiros.

Os fundos se diferenciam pelos ativos nos quais investem e também pela estratégia adotada. Logo, é importante conhecer o funcionamento de cada um para fazer suas escolhas com segurança e consciência. Avalie especialmente os riscos e os prazos.

Como fazer os primeiros investimentos como PJ?

Você já viu como se preparar para realizar investimentos e quais são alternativas disponíveis. Agora é o momento de entender como realmente aproveitar essas possibilidades e realizar as primeiras alocações financeiras.

Tudo começa abrindo uma conta de investimentos. Para isso, é preciso separar a documentação que será necessária, como contrato ou estatuto social do negócio, balanço patrimonial e dados de faturamento. As exigências variam a cada alternativa, então é fundamental ter atenção.

Para investir, você pode buscar a instituição financeira que ofereça o investimento de interesse. No caso do CRI e do CRA, é possível recorrer diretamente a uma securitizadora, que é a responsável por emitir esses títulos — tornando o investimento muito mais simples e acessível.

Lembre-se de conferir todas as condições previamente antes do aporte, pois isso ajuda a entender questões importantes, como prazos e características de resgate, por exemplo.

Após efetuar o investimento, é interessante acompanhar a carteira e seu desempenho. Desse modo, há como fazer as adaptações necessárias para explorar melhor as condições do mercado e refletir as suas demandas.

Com esses investimentos para pessoa jurídica, o negócio pode aproveitar oportunidades para melhorar a configuração financeira. Ao realizar a diversificação de carteira, é possível diluir os riscos e favorecer os resultados no longo prazo.

Para descobrir as alternativas do crédito privado, conheça os investimentos da Multiplike e veja quais opções atendem às suas necessidades como PJ!

Voltar