O que é e como montar uma carteira de investimentos diversificada?

Veja mais

Investir não se limita a buscar alternativas para fazer seu dinheiro render. Também é preciso ter estratégias definidas e tomar decisões que reflitam seus interesses. E para aproveitar as oportunidades da melhor forma, vale a pena saber como montar uma carteira de investimentos diversificada.

Porém, para ter sucesso nessa tarefa, é preciso conhecer as possibilidades do mercado e avaliá-las diante de suas características específicas. Dessa maneira, você terá chances de obter os diversos benefícios relacionados à diversificação de investimento.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste artigo, você entenderá como criar uma carteira diversificada para aproveitar os benefícios dessa estratégia.

Confira!

O que é uma carteira de investimentos?

Os investidores costumam selecionar diferentes produtos e ativos financeiros na hora de investir. O conjunto formado por essas escolhas é conhecido como carteira ou portfólio de investimentos. Assim, ela pode contar alternativas de renda fixa e de renda variável.

Isso é feito para possibilitar a busca dos objetivos financeiros do investidor. No entanto, ao tratar do assunto, é importante não confundir esse conceito com o de carteira de investimentos recomendada.

Nesse caso, o termo trata de uma carteira montada por analistas com base em avaliações do mercado. Portanto, toda carteira recomendada é uma carteira de investimentos, mas o contrário não é verdadeiro.

O que é uma carteira de investimentos diversificada?

Outro termo relevante é a carteira de investimentos diversificada. Ela corresponde a um portfólio formado por ativos distintos que são escolhidos com base em uma estratégia de diversificação.

Em vez de investir todo o dinheiro na mesma aplicação de renda fixa ou em uma alternativa de renda variável, por exemplo, há uma configuração formada por investimentos com características distintas.

Qual é a importância da diversificação dos investimentos?

Se você estiver se perguntando por que vale a pena ter uma carteira diversificada, saiba que a diversificação é uma das estratégias mais relevantes do mercado. O principal motivo para isso é que ela ajuda a equilibrar e a diluir os riscos das escolhas de investimentos.

Quando você investe de maneira concentrada — em apenas um ativo, condição ou setor, por exemplo — qualquer movimento pode gerar grandes perdas. Com a diversificação, por outro lado, a queda de um investimento pode ser compensada pela valorização de outro.

Desse modo, ao diminuir o impacto de perdas e de condições adversas, você aumenta a proteção do seu patrimônio investido. Ademais, a diversificação pode ajudar a aumentar os resultados dos investimentos.

Afinal, além de uma compensação de perdas, pode haver um acúmulo de ganhos em condições distintas, o que ajuda a reforçar a performance do seu portfólio.

Por que é importante diversificar com renda fixa e renda variável?

Ao diversificar a carteira, é importante que a estratégia não foque apenas em investimentos da mesma classe. Se você investir apenas na renda variável, por exemplo, corre o risco de ter uma carteira mais arriscada que o desejável — e nem sempre a relação de risco e retorno compensa.

Por isso, é interessante pensar em mesclar alternativas de investimento da renda fixa e da renda variável. Dessa forma, é possível ter um nível relativamente maior de proteção para a sua carteira, o que pode ajudar na conquista de objetivos distintos.

Como montar uma carteira de investimentos diversificada?

Agora que você sabe por que é importante ter um portfólio diversificado, é o momento de colocar a estratégia em prática. Com essas dicas, você entenderá o que deve nortear a sua tomada de decisão entre as diversas alternativas do mercado financeiro.

Na sequência, descubra como adotar a diversificação de investimento para compor sua carteira!

Conheça seu perfil de investidor

Para compor um portfólio de investimentos, é indispensável saber qual é o seu nível de tolerância ao risco. Para descobrir sua classificação, o indicado é identificar seu perfil de investidor, que pode ser conservador, moderado ou arrojado.

Sabendo qual é o seu apetite ao risco, é possível entender qual deve ser a característica principal da carteira, ainda que ela seja diversificada. Um investidor conservador, por exemplo, pode alocar uma pequena parte na renda variável, mas costuma investir a maior parte do capital na renda fixa, buscando maior segurança.

Já um investidor arrojado tende a ter mais investimentos na renda variável, buscando potencializar o retorno ao aceitar maiores riscos. O perfil de investidor ajudará a encontrar o equilíbrio em relação ao percentual de alocação do seu capital conforme o nível de risco de cada investimento.

Defina seus objetivos financeiros e seus prazos

Outro ponto importante ao compor sua carteira é identificar seus objetivos financeiros e os prazos de cada um. Pode ser que você tenha como objetivo de curto prazo juntar determinada quantia e, em longo prazo, conquistar um valor maior para ter uma aposentadoria tranquila.

Cada um dos objetivos exigirá uma atuação específica. A partir disso, você poderá avaliar níveis de riscos, rentabilidade, liquidez e prazos. Ao conhecer a importância das metas individuais, é possível definir qual o peso das alternativas do mercado ao diversificar investimento.

Conheça as alternativas disponíveis no mercado

Para montar uma carteira de investimentos diversificada, você precisa entender quais são as alternativas do mercado financeiro e como elas funcionam. Então pesquise qual é o nível de risco assumido, como o rendimento pode ser obtido, os prazos, a liquidez e outras questões relevantes.

Na renda fixa, por exemplo, existem desde investimentos muito conservadores até alternativas um pouco mais arrojadas, como os títulos de crédito privado. Apesar de apresentarem um grau maior de riscos, eles trazem maior potencial de ganhos.

Dessa maneira, conhecer o mercado de forma ampla é fundamental para entender quais investimentos podem compor, juntos, um portfólio equilibrado.

Diversifique o risco dos aportes

Para que a carteira seja verdadeiramente diversificada, avalie a correlação entre os investimentos. Uma correlação positiva demonstra que eles tendem a ter o mesmo comportamento diante de movimentações do mercado, o que não traz uma diversificação real.

Assim, pode ser interessante ter alternativas com correlação negativa e descorrelacionadas, que apresentarão comportamentos opostos ou sem relação entre elas. Inclusive, é importante ter atenção para não pulverizar os investimentos, em vez de diversificá-los.

A pulverização acontece quando você investe em diversos ativos, mas todos têm condições semelhantes ou têm resultados parecidos diante da mesma situação. Investir em diversos fundos de renda variável ou em múltiplos títulos públicos são alguns exemplos dessa prática.

Mantenha aportes frequentes

Tão importante quanto ter uma carteira diversificada é garantir que ela seja cada vez mais robusta. Por isso, é interessante manter os aportes frequentes. Essa é a forma mais rápida de fazer seu patrimônio crescer e aumentar o potencial de ganhos.

Com aportes frequentes, você aproveitará ao máximo a atuação dos juros compostos, o que facilitará alcançar os objetivos financeiros sem, necessariamente, aumentar a exposição aos riscos. Fazendo isso, também é possível favorecer a diversificação ao definir novos investimentos.

Como você viu, saber como montar uma carteira de investimentos diversificada é determinante para alcançar o sucesso com a sua estratégia. Entre as alternativas, vale a pena considerar escolhas de renda fixa para ajudar a compor seu portfólio — independentemente do seu perfil de investidor.

Se quiser aproveitar as oportunidades do crédito privado da renda fixa, conheça os investimentos que a Multiplike disponibiliza!

Voltar