O modelo de vendas em consignação vem se mostrando como uma alternativa interessante para quem está começando a empreender. O formato também costuma chamar atenção de quem deseja alavancar o crescimento da sua empresa sem correr tantos riscos.

Por isso, vale a pena conhecer esse modelo de vendas e entender como ele pode ser benéfico para o seu negócio. Ademais, é importante entender quais são as suas desvantagens e os cuidados necessários para que essa negociação seja bem definida antes de aplicá-la no cotidiano corporativo.

Quer saber mais? Então descubra neste artigo o que é e como funciona a venda em consignação, suas vantagens e como realizar o processo de maneira adequada em prol do seu negócio.

Confira!

O que é venda em consignação?

O primeiro passo para entender as vantagens da venda em consignação é entender esse conceito, certo? Na prática, trata-se de um modelo de contrato estimatório, no qual uma parte (fornecedor) fornece mercadorias a outra (revendedor) para serem comercializadas.

Contudo, diferentemente do modelo de vendas tradicional, a cobrança do produto ocorre somente quando ele é vendido. Normalmente, o revendedor recebe uma porcentagem sobre as vendas realizadas. Caso ele não consiga repassar toda a mercadoria para o consumidor, o fornecedor recolhe o excedente sem qualquer custo.

Portanto, o fornecedor continua sendo proprietário da mercadoria até ela ser paga. Enquanto isso, cabe à outra empresa a responsabilidade de comercializar os produtos. Isso inclui não somente a venda em si, mas também a captação de clientes.

Para essa parceria ser vantajosa, as partes podem fazer a precificação dos produtos juntos, de modo que cubra os custos operacionais, o percentual da comissão e ainda haja uma margem de lucro. Assim, dependendo do seu modelo de negócio, esse tipo de venda pode ser interessante.

Quais as vantagens das vendas em consignação?

Agora que você sabe o que é e como funciona a venda em consignação, é o momento de entender como essa modalidade de comercialização pode ser benéfica para as partes envolvidas.

Confira!

Para o fornecedor

Para quem coloca os produtos em consignação, uma das principais vantagens é a possibilidade de vender mais. Afinal, ao adotar esse tipo de venda, o fornecedor tem a chance de aumentar sua exposição no mercado por meio de diversos parceiros, possibilitando um crescimento na receita.

Outra vantagem da venda em consignação para o fornecedor é o aumento da lucratividade. Isso é possível porque sua margem de lucro pode ser maior — sem os custos de ter uma loja física para apresentar seus produtos.

Além disso, as vendas em consignação permitem testar novos produtos, sem o risco de grandes perdas financeiras. Afinal, os fornecedores podem introduzir um novo item em um canal de vendas para saber como será sua aceitação no mercado — antes de investir capital no produto ou serviço.

Para o revendedor

As vendas em consignação também trazem diversas vantagens para os revendedores. Por exemplo, eles não têm preocupações com o processo de desenvolvimento e produção, já que ele é de responsabilidade do fornecedor.

Outro aspecto positivo é a redução no custo com a manutenção de estoque, pois o revendedor recebe os produtos prontos para comercialização. Assim, ele não precisa ter matéria-prima estocada para produzi-lo. Portanto, os custos tendem a ser menores.

A venda em consignação permite, ainda, uma melhora no fluxo de caixa. Afinal, o comprador não precisa pagar adiantado pela mercadoria. O pagamento se dá somente quando ela é vendida — que é o momento em que ele também recebe sua comissão, favorecendo as finanças do negócio.

Além disso, como os produtos não vendidos podem ser devolvidos sem nenhum custo, os riscos envolvidos com a perda nas baixas diminuem. Desse modo, o revendedor poderá evitar furos no seu faturamento no final do mês.

Quais as desvantagens das vendas em consignação?

Apesar das vantagens, as vendas em consignação possuem desvantagens que devem ser consideradas se você deseja adotá-las no seu negócio — seja um fornecedor ou revendedor.

Então confira a seguir os principais pontos negativos desse tipo de comercialização!

Para o fornecedor

Uma das desvantagens das vendas em consignação para os fornecedores é se as suas mercadorias não receberem visibilidade suficiente pelos revendedores. Nesse caso, as vendas tendem a ser mais baixas e o faturamento pode ser menor que o esperado.

Além disso, quando se usa um terceiro, você recebe menos lucro do que ao vender diretamente aos usuários finais, devido ao pagamento de comissões.

Por fim, mais uma desvantagem tem relação com as possíveis perdas de mercadorias. Isso pode acontecer quando o produto é devolvido com prazo de validade e consumo próximos. Com isso, não haveria tempo de repassá-lo para outro revendedor.

Para o revendedor

Para o revendedor, um dos pontos negativos é a dependência de produtos alheios para ter um fluxo constante de estoque, já que ele não tem fabricação própria. Isso pode trazer problemas que podem ser prejudiciais para o seu negócio.

Por exemplo, o atraso na entrega de um produto aguardado pelo cliente fará com que você perca uma venda — especialmente se não tiver outro fornecedor. Além disso, diante de uma compra urgente, seu poder de negociação pode diminuir, caso o consumidor encontre um substituto.

Outra desvantagem das vendas em consignação é a potencial dificuldade em gerenciar o estoque. Normalmente, isso acontece quando a quantidade enviada supera a demanda. Logo, é preciso disponibilizar um local para estocá-lo.

Como realizar esse processo corretamente?

Se você pretende aproveitar as vantagens das vendas em consignação, é importante saber como realizar esse processo corretamente para evitar dificuldades. Confira a seguir os cuidados que sua empresa deve tomar com o estoque consignada.

Se for um fornecedor:

  • conheça a idoneidade do seu vendedor, já que ele representará seu produto no mercado;
  • verifique se o local de vendas dispõe de condições necessárias para preservar a qualidade do seu produto;
  • descubra se o vendedor possui experiência em vendas, pois isso pode impactar diretamente nos seus ganhos.

Se for um revendedor:

  • experimente os produtos antes de vendê-los, assim você saberá se eles cumprem o que dizem;
  • verifique se há mercado para o produto para ser favorável comercializá-lo;
  • faça um acordo equilibrado sobre a comissão;
  • acorde com o fornecedor como será realizada a troca dos itens;
  • conheça o produto para saber como apresentá-lo ao público.

Como você viu, o modelo de vendas em consignação pode ser vantajoso tanto para os fornecedores quanto para os revendedores. Para aumentar as chances de fazer uma boa negociação para sua empresa, não deixe de adotar as recomendações apresentadas acima!

Gostou do conteúdo? Continue aprimorando seu conhecimento e entenda o que é capital de giro!